Notícias da enosfera… Vinicultores franceses enfrentam a pior geada em 25 anos

Idas e Vinhas

Produtores relatam
danos generalizados em Bordeaux, Borgonha e Champagne, com alguns perdendo toda
a safra de 2017.

 Idas e Vinhas
A última semana de abril está sendo dramática. Os vinhedos das regiões de Bordeaux, Borgonha e Champagne foram severamente castigados pelas
consecutivas noites de geada, sendo a pior a que aconteceu hoje (28/04/17). Somente os
vinhedos localizados nas encostas e platos se salvaram. Segundo os produtores, essa foi a pior geada desde 1991.
Nessa época do ano, na Europa, as videiras estão muito vulneráveis. É quando começam a liberar os seus primeiros brotos. Estão
despertando do estado de dormência. 
Idas e Vinhas

Segundo Xavier
Couman
, presidente do sindicato de vinhos e destilados de Bordeaux,
estima-se que praticamente 50% da safra de 2017 foi perdida.
Em Bordeaux, Pomerol e Saint-Emilion (margem direita) foram as regiões mais afetadas. Pessac-Léognan, Graves e parte do Médoc (margem
esquerda) foram poupadas.
Já na Borgonha
os produtores de Chablis fizeram o
que estava ao seu alcance para tentar amenizar os estragos da geada. Acender fogueiras
(conhecidas como velas) entre as parcelas de vinhedos foi a opção mais comum e
que trouxe os melhores resultados. As comunas mais atingidas foram Maligny, Lignorelles e Ligny-Le-Chatel
e algumas partes de Beines e Courgis.

Em Champagne, a estratégia foi pulverizar água nas vinhas quando a temperatura caiu o suficiente
para criar uma camada protetora de gelo, isolando os brotos vulneráveis da
planta.
Idas e Vinhas

Enquanto os produtores de Champagne ainda avaliam a
extensão dos danos em seus 81 mil hectares de vinhedos, o grupo de comércio
local CIVC
(Comité Interprofessionnel du Vin de Champagne) estima que 25% da safra foi
comprometida.
Embora seja muito cedo para relatórios oficiais, ainda levará
tempo para avaliar e contabilizar os danos.
*Fonte: Wine Spectator

Provamos e aprovamos… William Fèvre Espino Cabernet Sauvignon 2013

Idas e Vinhas

Espino Cabernet Sauvignon 2013 é mais um excelente vinho
produzido no Chile pelo francês William Fèvre, renomado produtor que se
destaca pelos Premier Cru Chablis, na Borgonha. O projeto no Chile
iniciou-se há 20 anos em sociedade com Victor Pino Torche, cuja família
vem do ramo de mineração e agropecuária. Seus vinhos são considerados pela
crítica especializada como de altíssima qualidade e preços muito corretos. 

Já escrevemos sobre o produtor aqui.

Leia sobre os outros rótulos que já
provamos:
Vamos ao vinho?

Espino Cabernet Sauvignon 2013
D.O Maipo Andes. 13,6% de álcool. 8 meses
em barricas de carvalho não novas e 6 meses em garrafa antes de ser
comercializado.
Cor rubi escuro muito brilhante. No
nariz, apresentou boa variedade de aromas intensos e persistentes. Inicialmente
percebem-se frutas vermelhas e negras maduras (cassis, framboesa, cereja,
amoras, mirtilo), rosas e violetas. À medida que respira na taça, libera aromas
de especiarias (pimenta do reino e canela), café, notas amadeiradas e
refrescantes (menta). Em boca é rico e muito equilibrado. Bom corpo, excelente
acidez, taninos muito elegantes e o álcool bem integrado. Os aromas de boca são
confirmados e o final é longo, intenso e persistente, com fundo de frutas
maduras, flores e especiarias.
Nota IV: 90
Importadora: Domínio Cassis
Pedidos RJ: contato@idasevinhas.com.br

Aproveite pois este vinho está em nosso Wine Club dessa semana e restam poucas unidades.

Ainda não é membro do Idas e Vinhas Wine Club? Clique aqui e se inscreva. É grátis.
Idas e Vinhas

Assista abaixo o vídeo que fizemos sobre o Espino.