Aconteceu… Vinho e Pizza

Idas e Vinhas

O último dia 08 de dezembro reuniu pelo menos 3 coisas que todo enófilo adora:
boa comida, excelentes vinhos e pessoas interessantes. O evento “Vinho e Pizza” de ‘Como em Casa com Idas e Vinhas®‘ foi muito bacana! Enquanto muita
gente pensa tanto em que vinho combinaria com que comida, o que pode ser tarefa
estressante, optamos por apenas seguir algumas regras básicas e deixar fluir…

Idas e Vinhas

Os deuses
do Vinho olharam por nós e a noite foi muito divertida! Afinal, como não
apreciar a combinação vinho & pizza?
Escolhemos 5 tintos, acompanhados por 4 sabores de pizza. A sequência obedeceu a
uma regra simples: do vinho menos encorpado para o mais potente, enquanto as
pizzas foram passando das mais leves para as mais substanciosas e
condimentadas.
Os vinhos
degustados fazem parte do nosso portfólio (e estão disponíveis em nosso Wine Club), e optamos por variar castas
e países: da França trouxemos um
Pinot Noir, do Chile um Cabernet
Sauvignon e um Syrah, da Itália um Nero
D’Avola e de Portugal um blend de
Touriga Nacional/Alicante Bouschet/Cabernet Sauvignon.
E o que
dizer das pizzas e do espaço “Como em
Casa
”?  Sucesso total, com direito a forno a lenha a pleno vapor para
finalizar as deliciosas pizzas Prima Farina
e o terraço decorado remetendo às cantinas italianas…

Idas e Vinhas
A Pizzaiolo Fany

E a noite seguiu assim

Os vinhos
– Domaine
Thevenet & Fils – Bussières “Les Clos” 2012 (França, Borgonha)

Firriato – Chiaramonte Nero D’Avola 2013 (Itália, Sicilia)

Ramirana – Gran Reserva Syrah Carmènére 2012 (Chile, Maipo)

Ventisquero – Grey Cabernet Sauvignon 2013 (Chile, Maipo)
– Quinta
de S. Lourenço – Galecião 2010 (Portugal, Lisboa, Estremadura)

A comida

antepastos preparados pela Fany
– pizzas
com a alta qualidade Prima Farina
(caprese, melanzane, prosciuto di Parma e calabresa)
– água,
licor e café
O top 3
Esse
talvez tenha sido o Top 3 mais
disputado que já fizemos. Teve até recontagem…e para não polemizar declaramos
‘empate técnico’ !!
1° lugar, empatados: Ramirana – Gran Reserva Syrah Carmènére 2012 e Quinta de S. Lourenço – Galecião 2010
2° lugar: Firriato
– Chiaramonte Nero D’Avola
2013

Agora
faremos uma pequena pausa para as
festas de fim de ano, mas logo em
janeiro reiniciamos
nossos encontros! Fiquem atentos e inscrevam-se sem qualquer custo em nosso Wine Club (aqui) para saberem em primeira mão todas as
novidades.
Quer
fazer um evento personalizado e
exclusivo
, está em busca de excelentes
vinhos
? Fale conosco! contato@idasevinhas.com.br
(021)
98218-0717
Tenham um
Maravilhoso Natal e que 2017 venha pródigo em conquistas, alegrias e vinhos
extraordinários!!

Provamos e aprovamos… Viña Santa Carolina Reserva de Família Cabernet Sauvignon 2012

Idas e Vinhas
A Santa Carolina foi fundada em 1875. Em 1975 foi
comprada pela família Larrain, à qual pertence até hoje. Todos os números são
expressivos quando se trata da Santa Carolina. A produção anual é de cerca de
25 milhões de garrafas, cuja origem são os mais de 1 mil hectares de vinhedos espalhados
pelos principais valles do Chile.

Se os números impressionam, a qualidade não fica atrás. O
vasto portfólio é consistente e o Brasil é um dos grandes apreciadores e
importadores. Em 2015 foi eleita a Vinícola
do Ano do Novo Mundo
pela revista Wine
Enthusiast
, além de receber notas altas do Guia Descorchados.

O enólogo André
Caballero
está na vinícola desde 2005 e foi o responsável pela
diversificação do portfólio de vinhos da Santa Carolina. Em parceria com o também
enólogo Alejandro Wedeles, seguem em
busca de vinhedos especiais, que resultem em vinhos também especiais. Um
exemplo é a linha Specialties, cujo
ótimo Sauvignon Blanc é produzido com uvas do vinhedo em Bucalemu, no Valle de
San Antonio (a 4km do mar). O vinho possui acidez viva e aromas herbáceo, ótimo para
acompanhar frutos do mar.
Outro lançamento é o projeto Pereira para homenagear o
fundador da vinícola, elaborado com uvas de vinhas velhas (70 anos localizadas
em diversas partes do Valle Central), regadas por inundação (como nos anos 60)
e utilizando técnicas de mínima intervenção. Os vinhos foram vinificados em
barris de carvalho antigo onde permaneceram por um ano. Depois foi feita a
mescla e o produto final afinou em carvalho francês novo por 12 meses. O blend
é composto por 90% Cabernet Sauvignon, 5% Cabernet Franc, 2% Malbec e 3% outras
variedades.
Também escrevemos sobre outro destaque da Santa Carolina, o
ícone Herencia (leia aqui).
O vinho que provamos para este post é o premium Santa Carolina Reserva de Família Cabernet Sauvignon. Esse vinho e
o Carmenère estão no nosso Wine Club da semana, com preços
promocionais. Compre aqui.
Vamos ao vinho?
Santa Carolina
Reserva de Família Cabernet Sauvignon 2012
100% Cabernet Sauvignon, estágio de 15 meses em barricas de
carvalho e mais 6 meses em garrafa antes de ser liberado ao mercado. 13,8% de
álcool.
Cor vermelho granada. Apresentou ampla variedade de aromas
de muito boa intensidade e persistência, destacando-se ameixas maduras,
groselha, cassis, pimenta do reino, tabaco, chocolate, trufa, terra molhada,
rosas e alguma nota vegetal. Em boca é encorpado, com bom equilíbrio entre
acidez, álcool e taninos, ganhando destaque as frutas negras, a pimenta e o
tostado da madeira. Com aroma de boca de muito boa qualidade, intensidade e
persistência.
Nota IV: 89
WS: 87
Descorchados: 94
Idas e Vinhas

Aconteceu… Idas e Vinhas na Bardot – Vinhos e Artes – vinícola Emiliana

Idas e Vinhas

No último sábado, 02 de Abril de 2016, voltamos
à Bardot – Vinhos e Artes
para conduzir uma degustação muito legal! Nosso amigo Abel Mendes (Casa Flora)
sabe escolher bem não só os temas mas também a sequência dos vinhos, o que
torna seus convites sempre irrecusáveis.

Idas e Vinhas
Da esquerda para a direita: Alexandre, Ana Cristina e Abel
A degustação foi especial por dois motivos:
tratam-se de vinhos orgânicos e biodinâmicos* e que são
produzidos pela excelente vinícola Emiliana,
sediada no Valle de Casablanca, Chile.
Uma das etapas da nossa Maratona enológica pelo Chile em 2012 foi justamente a Emiliana. Ficamos muito
impressionados com toda a estrutura da vinícola e o cuidado com que nos
receberam. Foram quase 4 horas de visita, onde pudemos aprender mais ainda
sobre as práticas agrícolas biodinâmicas. Tais práticas (que conferimos também
na Matetic
e na Antiyal)
fazem parte de uma filosofia maior – a Antroposofia – cujo patriarca foi
o austríaco Rudolf Steiner (1861 – 1925).
De acordo com Steiner, o homem deve desenvolver
seu espírito, afastando-se do excesso de materialismo tornando-se uno com a
Natureza. Daí o emprego de técnicas agrícolas que fortaleçam uma “relação
espiritual–ética com o solo, com as plantas e os animais e com os coirmãos
humanos.” Saiba mais sobre a Agricultura Biodinâmica aqui.
Além do enfoque de serem vinhos naturais, a
Emiliana produz vinhos de excelente qualidade.
Em tarde de casa cheia e animada, apresentamos
6 rótulos das linhas reserva e Gran Reserva Adobe e Novas,
respectivamente.
Idas e Vinhas

Adobe Reserva Chardonnay 2014 – Valle de
Casablanca
Adobe Reserva Pinot Noir 2014 – Valle de
Colchagua
Adobe Reserva Carmenére 2014 – Valle de
Colchagua
Adobe Reserva Merlot 2014 – Valle de Rapel
Novas Gran Reserva Pinot Noir 2014 – Valle de
Casablanca
Novas Gran Reserva Cabernet/Merlot 2013 – Valle
do Maipo
Idas e Vinhas
Foi um empolgante passeio rico em castas e
também regiões chilenas. A Emiliana tem mais de 700 hectares de vinhedos
espalhados pelo Chile, com o cuidado de plantar as uvas que produzem melhores
resultados em cada Vale.
Escolher o melhor vinho foi tarefa difícil!
Toda a seleção foi muito apreciada. Quanto aos destaques, todos concordaram que
o Chardonnay (com 5% do lote passando em madeira) é de altíssima
qualidade. Passando-se aos tintos, o Adobe Reserva Merlot e o Novas
Gran Reserva Cabernet/Merlot
foram aclamados.
Agradecemos a todos os presentes que entraram
no clima da tarde leve e descontraída, e novamente ao Abel e à sempre gentil
equipe da Bardot
pela oportunidade. Que venham as próximas!
Idas e Vinhas

*Leia aqui
sobre uma degustação sobre vinhos orgânicos e biodinâmicos que conduzimos, e
onde apresentamos um dos vinhos ícones da Emiliana, o Coyam.

Os vinhos apresentados você encontra na Bardot Vinhos e Artes.

Aconteceu… O excelente chileno VIK chega ao Brasil


Foi uma grata surpresa receber o convite para a etapa de abertura
da apresentação do VIK ao mercado brasileiro. World Wine e Wine.com.br
programaram ações aqui no Rio, em São Paulo e Brasília. A apresentação do vinho
e da vinícola nesse tour pelo Brasil está a cargo de Gonzague de Lambert
(enólogo e Vice-presidente de Marketing e Vendas) e Julia Parapugna (Diretora
de vendas).

 Idas e Vinhas

Provamos o VIK pela primeira vez em 2012, em nossa maratona enológica pelo Chile. Das vinícolas que visitamos, a VIK foi sem dúvida uma das
experiências mais marcantes (leia mais aqui). Difícil dizer se foi pela
recepção impecável (que incluiu uma degustação especialíssima e uma noite de
hospedagem), pela beleza estonteante da paisagem ou pela alta qualidade do
vinho, o fato é que sempre comentamos com amigos o quanto vale a pena conhecer
a VIK.
A apresentação no Rio de Janeiro aconteceu na última terça-feira,
25 de Agosto, em um coquetel na loja Porto di Vino. Foi ótimo reencontrar o
Gonzague (foi ele quem conduziu a nossa visita em 2012), que está cada vez mais
entusiasmado com o projeto e se encarregou pessoalmente de servir os convidados
(e de trazer do Chile preciosas 36 garrafas de VIK).

Idas e Vinhas

Assim que cheguei, fui recepcionada com o VIK 2010 (a mesma safra
que provamos em 2012 e que temos em casa). Muitas vezes provamos um vinho em
determinada ocasião e ficamos com uma impressão que acaba não se confirmando
nas outras vezes. Por isso estava mesmo um pouco receosa de provar novamente,
querendo preservar a experiência anterior. E o que tenho a dizer é que….o
vinho é realmente excepcional. Aos cinco anos preserva a cor viva, os aromas
intensos e os taninos redondos. Tudo indica que tem um grande potencial de
guarda.

Idas e Vinhas
Gonzague e Ana Cristina

Gonzague fez uma breve apresentação da vinícola e do projeto VIK
(que inclui um outro rótulo, o VIK A) e Julia apresentou o hotel (dedicado ao
turismo de alto luxo) e o restaurante recentemente inaugurado. Em 2012 passamos
uma noite no lodge (o hotel estava em construção) que hoje é utilizado pela
família de Alexander VIK e o que hoje é a linda bodega estava nos primeiros
estágios do projeto.

Idas e Vinhas

Ao longo da noite, passamos ao VIK 2011 (e de volta ao 2010…). Em
2012, nossa degustação foi composta por 9 taças guardavam amostras do que seria
o VIK 2011. Ou seja, tivemos o privilégio de provar os diferentes lotes que
estavam repousando nas barricas antes que os enólogos decidissem o blend do
vinho. E, bem, acertaram! É tão bom quanto a safra 2010, mantém a identidade
aromática e traz sutis diferenças: é menos amadeirado e com taninos mais
marcantes.
Vamos aos vinhos?
VIK 2010
Cabernet Sauvignon 56%, Carménère 32%, Cabernet Franc 5%, Merlot
4%, Syrah 3%.
13.9 % de álcool.
Uvas colhidas manualmente e fermentadas com leveduras nativas. A
fermentação malolática foi feita em barricas novas de carvalho francês seguida
por 23 meses de envelhecimento. Envasado em 3 de Abril de 2010.
De cor rubi muito vivo e brilhante. No nariz, impressionou pela
intensidade e persistência dos aromas florais (rosas e violetas), de frutas
negras, cassis e baunilha. Em boca, as frutas negras e a baunilha se destacam.
Encorpado, com taninos marcantes e ainda assim redondos. Final longo, intenso e
muito agradável.

Idas e Vinhas

VIK 2011
Cabernet Sauvignon 55%, Carménère 29%, Cabernet Franc 7%, Merlot
5%, Syrah 4%.
13.9 % de álcool.
Uvas colhidas manualmente e fermentadas com leveduras nativas. A
fermentação malolática foi feita em barricas novas de carvalho francês seguida
por 23 meses de envelhecimento. Envasado em 5 de Abril de 2013.
Também de cor rubi muito vivo e brilhante, o VIK 2011 tem perfil
aromático bastante similar ao 2010. A madeira aqui é mais sutil e os taninos
são ainda mais marcantes sem perder a elegância. Final longo, intenso e
muitíssimo agradável
.
Idas e Vinhas

A Wine.com.br já está comercializando tanto o VIK (R$ 590,00 para
não membros) quanto o VIK A (R$ 170,00 para não membros).
Em 2012 adquirimos o VIK 2010 na própria vinícola, e pagamos 135
dólares.
Idas e Vinhas
Rodrigo Oliveira da World Wine (ao centro), com os sócios da Porto di Vino Bernardo Larreta e Bernardo Murgel

Leia sobre a nossa viagem ao Chile:

Provamos e aprovamos… Parra Family Project – Pencopolitano 2013

Idas e Vinhas

Conhecemos o Pedro Parra durante um
evento de divulgação dos vinhos Alto Las Hormigas, no ano de 2014 (veja
aqui o post). Desde então não perdemos mais contato
com esse que é um dos mais requisitados consultores não apenas para a
fabricação de vinhos, mas pelo estudo de solos e climas. Não é à toa que Parra
é conhecido como o “caçador de terroir”.

Parra é um dos grandes peritos em estudo do
solo para a vitivinicultura. De origem chilena e com cursos
de formação na França, Parra atuou como consultor em dezenas de projetos não
apenas no Chile (Viña
Montes, Concha y Toro, Lapostolle, William Fèvre…), mas Argentina (Renacer, Alto Las Hormigas,
Cobos…), Espanha (Bodegas Santana), Estados Unidos (Benzinger), e por aí vai…
Devido ao sucesso dos seus projetos, Parra decidiu que é hora de
construir um legado para seus filhos e acaba de lançar o Parra Family Project –
Pencopolitano.
Corte de  49% Carignan, 37% Pais, 9% Carmenère e 4% Cinsault, oriundas de
vinhedos dos Vales do Maule e
Itata
, respectivamente cerca de 200 e 400 km ao Sul de Santiago.
A produção é pequena: 3.000 garrafas. Vieram para o Brasil apenas 720!
Vamos ao vinho?
Pencopolitano 2013
49% Carignan, 37% Pais, 9% Carmenère e 4%
Cinsault.
O mosto foi fermentado de forma artesanal,
utilizando leveduras indígenas. Lotes de Carignan e Carmenère estagiaram em
carvalho francês de segundo uso por 14 meses. 13,5% de álcool.
Cor vermelho púrpura escuro. No nariz mostrou
boa variedade de intensos aromas tais como cassis, cereja, violeta, tabaco,
café, baunilha e algo de vegetal e terroso. Em boca se destacam o cassis, a
violeta e alguma erva fina (alecrim). De médio corpo, bom equilíbrio entre
acidez, álcool e taninos, final de boca adocicado, intenso e persistente.

Nota IV: 87
Importadora: Domínio Cassis
Distribuído exclusivamente pelo Idas e Vinhas no Rio de Janeiro.
R$125 (consumidor final). Sócios do Wine Club Idas e Vinhas têm 7% de desconto.*
Garanta a sua garrafa: contato@idasevinhas.com.br

* Promoção por tempo limitado.
Idas e Vinhas