Agenda… Semana Mesa SP 2017, de 26 a 29 de Outubro de 2017

De 26 a 29 de Outubro acontece a edição 2017 da Semana Mesa SP, realizada pela revista Prazeres da Mesa. São quatro dias de programação intensa e variada percorrendo o universo enogastronômico, incluindo fóruns, palestras, aulas, jantares, e até um empório com produtos à venda.


Alguns destaques para os enófilos: O Lançamento mundial do Pêra Manca Tinto 2012, que acontece no I Fórum Internacional de Vinhos, uma degustação vertical do ícone Almaviva, além de degustações da Altair, Salentein, e M. Chapoutier.

Lançamento mundial do Pêra-Manca Tinto 2012 


A nova safra do emblemático rótulo português será lançada durante a primeira edição do Mesa Vinhos, evento que faz parte da programação da Semana Mesa SP, antes mesmo do seu lançamento em Portugal. 

A novidade será apresentada em uma degustação guiada por Gabriela Fialho, Gerente de Exportação Conselho da Fundação Eugênio de Almeida (FEA), no I Fórum Internacional de Vinhos, que acontecerá dia 26 de outubro, durante a Semana Mesa SP. 

O que faz o evento ainda mais atrativo é o fato de que Pêra Manca é elaborado somente em anos de grandes safras – processo estabelecido desde 1990. 

Vertical Almaviva


Ainda no encontro, Michel Friou, enólogo da Almaviva, promove uma vertical de quatro safras dos rótulos da vinícola, sem dúvida um dos grandes vinhos sul americanos. 

Confira aqui o post sobre a visita que fizemos à vinícola e aqui a matéria sobre os 15 anos de lançamento do vinho em 2013 no Copacabana Palace/Rio de Janeiro.

Outros destaques

A programação do fórum também conta com uma degustação vertical de Altäir (outro grande chileno, e já escrevemos sobre ele aqui), os novos vinhos da renomada Salentein (Argentina), além dos Syrah da icônica M. Chapoutier do Rhône, na França, e da Austrália. 

Aqui cabe um parênteses – estivemos na M. Chapoutier em março, em uma visita memorável conduzida por Sara Ferreira, Diretora de Vendas para a América Latina, que apresentará a degustação no Semana Mesa. 

E não acaba por aí. Rodada de negócios, intercâmbio de informações e outras degustações exclusivas acontecem na Sala do Atos, decorada com um enorme painel de Portinari. Dias 26 e 27 de Outubro, das 15 às 21h.

Serviço
Endereço: Memorial da América Latina – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664
Ingressos: https://www.semanamesasp.com.br/inscric-es
Informações: https://www.semanamesasp.com.br/

Degustações Premium/ Sala Atos

26 de Outubro
Pêra – Manca
Apresentação: Gabriela Fialho
Horário: a partir das 18h30
Valor: R$350

Vertical Alma Viva
Apresentação: Michel Friou
Horário: a partir das 20 horas
Valor: R$350

27 de outubro
A influência da taça na degustação de vinhos
Apresentação: Bruna Giglio
Horário: a partir das 17 horas
Valor: R$160

Syrahs: França x Austrália 
Apresentação: Sara Ferreira
Horário: a partir das 20 horas
Valor: R$160

I Fórum de Vinhos/Mesa Ao Vivo – 26 a 28 de outubro
1 dia – R$ 55
2 dias – R$ 100
3 dias – R$ 120
*ingresso válido para programação de Mesa Vinho e Queijos do Brasil

** com informações da assessoria de imprensa do evento.

Idas e Vinhas na Estrada – 12/12/2012 parte I – Altaïr – Valle de Cachapoal

Idas e Vinhas
No
terceiro dia da nossa maratona, Santiago amanheceu fria e parcialmente nublada.
Saímos mais cedo do hotel, pois visitaríamos as regiões dos Valles Cachapoal e
Colchagua, as mais distantes de Santiago previstas no nosso programa, seguindo
a Rota 5 na direção Sul. Seriam 3 vinícolas, com almoço na Casa Silva e o
pernoite na moderna VIK. Estávamos ansiosos, pois este dia prometia grandes
emoções.

A
nossa primeira parada a vinícola Altaïr, a 128 km ao sul de Santiago, no Valle
Cachapoal, na região do Alto Cachapoal. Os vales Cachapoal e Colchagua são duas
regiões que formam a DO Valle de Rapel. O Cachapoal, mais ao norte, sofre muito
pouca influência marítima, e suas três maiores subregiões – Rancagua, Peumo e Alto
Cachapoal – são conhecidas principalmente pela produção de vinhos tintos ricos
(cerca de 85% da produção), com destaque para o Cabernet Sauvignon cujas uvas
crescem próximas aos Andes e o Carmenère oriundo da parte central do vale.
A vinícola
A
Altaïr faz parte do mesmo grupo ao qual pertence a Santa Helena, o VSPT Wine
Group (Viña San Pedro Tarapacá), e seu papel é ser a vinícola boutique do
grupo. E que boutique! Construída em 2001, produz dois rótulos, Altaïr e
Sideral, em uma das localizações mais belas que já vimos.
O nome da vinícola evoca os céus, pois Altaïr é
a estrela mais brilhante da Constelação da Águia. Essa constelação pode ser
vista nos hemisférios Norte e Sul, simbolizando a união entre o Novo e o Velho
Mundo.
Ao
chegarmos nos portões da vinícola, localizados na base da colina onde fica a
bodega, a bandeira do Brasil hasteada indicava que éramos esperados.
Idas e Vinhas
Ao
descermos do carro, a vista era de tirar o fôlego. O dia, antes nublado, estava
ensolarado e o céu muito límpido. Nossa guia, Danitza Olivares, e mais dois
funcionários da vinícola nos aguardavam no terraço em frente à bodega, com
café, água e petitfours. Ali mesmo começamos a conversar sobre a origem da
vinícola, seu conceito de boutique, enquanto admirávamos o vale. De onde
estávamos era possível identificar os quartéis de Cabernet Sauvignon nas áreas
mais baixas, que são as vinhas mais antigas da propriedade de 150 ha (72 ha
compostos pelos vinhedos), enquanto Carmenère, Syrah, Cabernet Franc e Petit
Verdot se distribuem harmoniosamente pelas bases das encostas.
Idas e Vinhas
A recepção com Danitza

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Bela vista dos quartéis
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas

Idas e VInhas

Idas e Vinhas

Segundo
Danitza, a conformação geológica da propriedade é muito particular. O solo
rochoso compacto mais próximo da Cordilheira dos Andes confere um caráter mais
forte ao vinho Altaïr. À medida que se desce em direção ao vale, o solo
torna-se mais descompactado, e é desse solo que são provenientes as uvas para
compor o Sideral.
Em
seguida passamos à bodega, uma bela construção perfeitamente encaixada na
montanha. Na área de vinificação há cubas de aço inoxidável (onde é vinificado
o Sideral) e carvalho (para o Altair).
Idas e Vinhas
Na
sala das barricas, cada micro unidade de terroir é vinificada em separado. Os
enólogos então vão realizando provas às cegas onde se definem os lotes e as
variedades que irão formar a mescla definitiva para o Altaïr e o Sideral.
Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas
Outra
particularidade da vinícola é a enoteca, que guarda todas as safras produzidas
dos dois vinhos. É possível também comprar qualquer uma das safras, pelo mesmo
preço.
A degustação
A
vinícola não distingue seus dois rótulos pela qualidade. Ambos são considerados
ultrapremium com características distintas.
A
mesa de degustação estava preparada com elegância, os vinhos convenientemente
repousando em belos decanters. Vamos a eles!
Idas e Vinhas

Idas e Vinhas
Sideral 2008
Cabernet
Sauvignon 78%, Carmenère 13%, Syrah 5% e Cabernet Franc 4%. Estagia 10 meses em
barricas de carvalho francês de 225 litros (20% novas e 80% de segundo uso).
De bela cor rubi, o Sideral é um vinho complexo, encorpado, com aromas
característicos de frutas vermelhas, violetas e leve amadeirado. Muito
agradável na boca, taninos equilibrados e final longo.
Altaïr 2008
Cabernet
Sauvignon 82%, Syrah 13%, Carmenère 3% e Petit Verdot 2%. Estagia 10 meses em
barricas de carvalho francês de 225 litros (50% novas e 50% de segundo uso).
Se
o Sideral já havia impressionado, o Altaïr elevou o nível da
degustação. Mais encorpado, apresentou maior complexidade de aromas (foi
possível identificar notas de cacau e pimenta, além das frutas vermelhas e
notas florais). Um vinho muito equilibrado.
Idas e Vinhas
Depois
dessa excelente degustação, agradecemos a bela acolhida e seguimos rumo ao
próximo destino: Viña Santa Helena.

Acompanhe a nossa maratona abaixo: