Provamos e aprovamos… William Fèvre Espino Gran Cuvée Cabernet Sauvignon 2011

Idas e Vinhas

Cada vinho que abrimos do projeto chileno de William
Fèvre
vem se mostrando uma surpresa agradável. E como estamos em uma série de
provas, é uma ótima wine experience atrás da outra! E é isso que buscamos ao
selecionar os vinhos para o Wine Club, vinhos que sejam muito bem feitos, que
proporcionem alegria e prazer aos nossos membros.

A linha Espino Gran Cuvée é elaborada com uvas
provenientes de apenas um vinhedo (Las Majadas), no sopé dos Andes, com
rendimento de apenas 2kg por planta. São chamados vinhedos de altitude, o que
confere certas características aos vinhos. A alta insolação e a grande amplitude
térmica resultam em vinhos vivazes, concentrados em aromas e sabores.

escrevemos sobre o produtor aqui.
Vamos ao vinho?
85%
Cabernet Sauvignon e 15% Cabernet Franc, 13,3% de Álcool
Chile,
D.O. Pirque, Valle de Maipo
25% do
vinho afina em carvalho francês novo durante 11 a 13 meses e mais 8 meses em
garrafa antes de ser comercializado.
Cor
vermelho granada muito escuro. Apresentou um ampla gama de aromas bastante
finos, intensos e persistentes de violeta, ameixa madura, cassis, groselha,
tabaco, louro, pimenta do reino, pelica, café e chocolate. Em boca é harmônico,
com perfeito equilíbrio entre acidez e os taninos marcantes e finos. O álcool está
muito bem integrado, e com mais de tempo na taça são liberadas várias camadas
de aromas e sabores, prevalecendo as notas de frutas maduras, o tabaco e o
café. O aroma de boca é muito intenso e final muito persistente com retrogosto
frutado.
Excelente
exemplar de Cabernet Sauvignon chileno. Vale muito a pena provar!
Nota IV:
91
Descorchados
2015: 92
Idas e Vinhas


Leia sobre os outros rótulos que já provamos:

Aconteceu… Idas e Vinhas e Abreu Garcia na Bardot – Vinhos e Artes

Idas e Vinhas

Na tarde de sábado, 16 de Julho de Abril de 2016, passamos ótimos momentos na Bardot – Vinhos e Artes. Apresentamos aos amigos clientes da delicatessen os vinhos da vinícola catarinense Abreu Garcia, que representamos com exclusividade aqui no Rio de Janeiro.

Idas e Vinhas

A Abreu Garcia é uma vinícola jovem que vem firmando sua marca no cenário nacional de vinhos. Os vinhedos no planalto catarinense estão a mais de 900 metros de altitude. Essa nova fronteira vinícola produz vinhos frescos, elegantes e muito equilibrados.

Idas e Vinhas
Alexandre, Abel (Bardot – Vinhos e Artes) e Ana Cristina

Foram degustados rótulos das linhas Santa Clara e Abreu Garcia e pudemos trocar muitas experiências com a plateia participativa e entusiasmada em descobrir mais sobre a personalidade dos vinhos catarinenses. Em virtude de um proveitoso estágio na Abreu Garcia, o Alexandre pôde explicar detalhes da vinificação dos vinhos e a forma cuidadosa com que as vinhas são manejadas.

Idas e Vinhas

Os vinhos:
Abreu Garcia Espumante Brut Rosé
Santa Clara Sauvignon Blanc 2014
Abreu Garcia Chardonnay carvalho 2014
Abreu Garcia Rosé Malbec 2015
Santa Clara Cabernet Sauvignon/Merlot 2011
Abreu Garcia Cabernet Sauvignon/Merlot 2011

Foi um sucesso. O Chardonnay com passagem de 18 meses em barricas de carvalho novas foi um dos destaques. O deliciosamente frutado Malbec Rosé e o equilibrado e marcante blend Cabernet Sauvignon/Merlot completaram o top 3.

Idas e Vinhas

Nosso muito obrigado a todos os presentes nessa tarde leve e descontraída, e ao Abel e à sempre gentil equipe da Bardot pelo apoio. Saúde!! Cheers!! Santé!!

Leia aqui sobre a nossa tarde na Bardot em Abril, cujo tema foram os vinhos biodinâmicos da vinícola chilena Emiliana.

Saiba mais sobre os vinhos da Abreu Garcia.
Espumante Abreu Garcia Brut Rosé 2015 aqui.

Espumante Abreu Garcia Brut Festividad (Champenoise) 2015 aqui.
Santa Clara Sauvignon Blanc 2014 aqui.
Abreu Garcia Chardonnay 2015 aqui.
Abreu Garcia Chardonnay Carvalho 2014 aqui.
Abreu Garcia Rosé Malbec 2015 aqui.
Santa Clara Cabernet Sauvignon Merlot 2011 aqui.
Abreu Garcia Cabernet Sauvignon Merlot 2011 aqui.

Aconteceu… Happy Wine Hour com Idas e Vinhas no restaurante Ícaro

Idas e Vinhas

13 de Julho de 2016 foi dia de Happy Wine Hour
com os membros do Idas e Vinhas Wine
Club.
E caprichamos no tema! Foram
apreciados vinhos com pontuação acima de 90 no guia Descorchados 2016.

Idas e Vinhas
A questão
de avaliar e pontuar vinhos é motivo de discussão entre os enófilos. Alguns
seguem fielmente os guias e só compram vinhos pontuados. Outros criticam
veementemente qualquer sistema de pontuação e consideram os resultados
duvidosos e não tão imparciais.
Durante a
apresentação os participantes tiveram a oportunidade de fazer o seu próprio
julgamento. O vinho mais pontuado foi o vinho que mais empolgou? A pontuação
justifica o preço? 
Idas e Vinhas

Os vinhos escolhidos foram:
Hermann espumante
Lírica Brut
(Pinheiro Machado – RG)
Hermann espumante
Lírica Crua: 
92 pontos, Vinho
Revelação 
(Pinheiro Machado – RG)
Bouza Albariño 2015: 93 pontos, O Melhor Branco (Uruguai)
Bouza Tannat 2014: 90
pontos 
(Uruguai)
Villard Fine Wines Expressión Sirah 2014: 91 pontos (Chile)
Riglos Gran Malbec
2013: 
92 pontos (Argentina)
Ambrosía de Tupungato
Viña Única Malbec 2012: 
92 pontos (Argentina)
Viñedos de Alcohuaz
GRUS 2014: 
95 pontos, O
Eleito Valle Elqui
 (Chile)
As comidinhas, muito
bem elaboradas, foram preparadas pela chef Elisangela
Pilati
. Um dos pontos altos foi a harmonização do último vinho, o excelente
Viñedos de Alcohuaz GRUS 2014”, com um delicioso risoto de Funghi
Secchi, elogiado por todos.
Idas e Vinhas

Na opinião dos
participantes os melhores vinhos da noite foram: espumante Lírica Crua, o Ambrosía de Tupungato Viña Única Malbec
2012
e o Viñedos de Alcohuaz
GRUS 2014
.
Não deixe de participar das nossas Happy Wine Hour! É sempre uma ótima
oportunidade para degustar excelentes vinhos, apreciar boa comida e fazer novos
amigos.
Venha fazer parte do Idas e Vinhas Wine Club aqui (não requer investimento).

Vinhos do Sudoeste da França

Idas e Vinhas

Bebendo e aprendendo…
Faço parte de um grupo de degustação muito
bacana, e em cada encontro um de nós fica encarregado de apresentar
uma região vinícola e levar um rótulo que a represente. No último dia 07 de
julho foi a minha vez e falei sobre o Sudoeste da França.

Escolhi
essa região pois ela nem sempre recebe o valor que merece, já que fica ofuscada
pela estelar Bordeaux. O vinho que
levei foi o Château Mallevieille Cuvée
Imagine 2010 (Montravel)
Ainda havia mais 3 rótulos das AOC Cahors, Madiran Pacherenc du Vic-Bilh. Vale destacar que as degustações são realizadas sempre às cegas.
Localização
Conhecido
como “O canto escondido da França”, a região Sudoeste encontra-se
entre as montanhas dos Pireneus, tendo a Espanha ao Sul, a AOC Bordeaux ao norte, e a
Oeste o Oceano Atlântico.
Idas e Vinhas
Seus
limites estabeleceram-se visando mais a conveniência do que a lógica. Muitas
apelações cultivam as mesmas cepas de Bordeaux e poderiam, não fosse por um
acidente de geografia e história, ser incluídas naquela região. Um exemplo é a
apelação de Bergerac, que foi uma importante área vinícola antes do Médoc
começar a ganhar reputação. Na verdade, seu atual status de segunda classe
deve-se mais aos esforços dos comerciantes de Bordeaux em discriminá-la do que
a qualidade dos seus vinhos. Quando feitos com cuidado e habilidade competem
bem com muitos de Bordeaux bem mais caros.
Idas e Vinhas
Números
28 AOC e 13 IGP
50.000 hectares
de vinhedo
1.000 vinícolas
privadas
23
cooperativas
20
comerciantes
450
milhões de garrafas
242
milhões de garrafas de vinho branco
208
milhões de garrafas de vinhos tintos e rosés
30% AOC
45% IGP
25% dos
vinhos sem IG
As Castas
Brancas
Arrufiac
Baroque
Chenin
Blanc
Colombard
Courbu Blanc & Petit courbu
Gros
Manseng
Loin
de l’oeil
Mauzac
Ondenc
Petit
Courbu
Petit
Manseng
Picpoul
Sauvignon Blanc
Ugni Blanc

Tintas
Cabernet Franc
Cabernet-Sauvignon
Cot ou
Malbec ou Alxerrois
Duras
Fer
Servadou
Gamay
Merlot
Négrette
Prunelard
Syrah
Tannat
As apelações
28
AOC (Appellation d’Origine Contrôlée)
1.    Bergerac
2.    Brulhois
3.   
Buzet
4.   
Cahors
5.   
Coteaux
du Quercy
6.   
Côtes
de Bergerac
7.   
Côtes
de Duras
8.   
Côtes
de Millau
9.   
Côtes
du Marmandais
10.
Entraygues
le Fel
11.
Estaing
12.
Floc
de Gascogne
13.
Fronton
14.
Gaillac
15.
Irouleguy
16.
Jurançon
17.
Madiran
18.
Marcillac
19. Monbazillac
20.
Montravel
21.
Côtes
de Montravel e Haut Montravel
22. Pacherenc du Vic-Bilh
23. Pécharmant
24. Rosette
25. Saint-Mont
26. Saint-Sardos
27. Saussignac
28.
Tursan
13 IGP
1.   
Agenais
2.   
Ariège
3.   
Aveyron
4.   
Comté
Tolosan
5.   
Coteaux
de Glanes
6.   
Côtes
de Gascogne
7.   
Côtes
du Lot
8.   
Côtes
du Tarn
9.   
Gers
10.
Landes
11.
Lavilledieu
12.
Périgord
13.
Thézac-Perricard
As AOC mais conhecidas:
Madiran: uma das poucas apelações que produz tintos da
casta Tannat. Se no passado eram um tanto rústicos, hoje estão bem mais
agradáveis devido a melhores práticas de produção e o uso de outras castas
(Fer, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon). Costumam precisar de tempo em
garrafa para serem consumidos em sua melhor forma.
Cahors: apelação de 4200 hectares localizada a
sudeste de Bergerac. A principal uva cultivada é a Côt, ou Malbec ouAlxerrois e
algumas parcelas de Tannat. Os solos são semelhantes aos de Bordeaux (argilo calcário). Os melhores vinhedos estão localizados nos terraços às margens do Rio Lot.
Monbazillac: região de brancos elaborados com as
castas Sémillon, Sauvignon Blanc e Muscadelle. Também produzem brancos de
sobremesa botrytis.
Jurançon: vinhos brancos feitos com a Gros Manseng,
Petit Manseng e Courb. Os vinhedos estão plantados nos sopés dos Pirineus, ao
redor da cidade de Pau. Vinhos frescos e aromáticos (secos e de sobremesa).
Bergerac: Localizada ao sul de Bordeaux, os vinhedos
das 80 comunas da região localizados ao longo do rio Dordogne, o mesmo que flui
por Bordeaux, compartilham a mesma influência Atlântica no clima, embora com temperaturas
ligeiramente mais quentes.
As castas
empregadas são em sua maioria as mesmas de Bordeaux.
Montravel: região muito pequena que segue o rio
Dordogne, a oeste, até o limite entre os departamentos do Gironde e Dordogne. Os
brancos são feitos com Semillon e Sauvignon Blanc. Os tintos com Cabernet
Sauvignon, Cabernet Frac, Malbec e Merlot.
Vamos aos vinhos?
90% Malbec e 10% Tannat. 14% de álcool.
Amadurecimento em barricas novas de carvalho para 1/3 do volume e barricas de 1 e 2 anos para o restante, durante 12 a 14 meses. O engarrafamento acontece em junho e a comercialização em setembro.
Cor vermelho rubi com reflexos granada. No nariz mostrou aromas muito intensos, finos e persistentes de violeta, ameixa, cassis, amora, funcho, terra molhada, pelica e baunilha. Em boca é encorpado, destacam-se as notas de ameixa, baunilha e tabaco. Muito bom equilíbrio entre álcool, acidez e taninos e seu final de boca é muito persistente.
Nota IV: 91
Média grupo: 89,7
Idas e Vinhas
55% Merlot, 15% Malbec, 15% Cabernet Franc e 15% Cabernet Sauvignon. 13,9% de álcool.
Cor vermelho rubi com reflexos granada. Em boca apresentou boa diversidade de aromas finos, intensos e persistentes de ameixa, violeta, cassis, mirtilo, groselha, louro, funcho, anis, pimenta, couro e café. Em boca é equilibrado, encorpado, com taninos marcantes e elegantes. Final de boca e retrogosto muito persistente destacando-se as notas frutadas.
Nota IV: 88
Média grupo: 87
Idas e Vinhas
90% Tannat e 10% Cabernet Sauvignon. 14,5% de álcool. Amadurecimento durante 12 meses em barricas de carvalho 50% novas e 50% usadas.
Cor vermelho rubi. Aromas muito finos, intensos e persistentes, com notas florais de rosas, framboesa, groselha, ameixa, louro, anis e café. Em boca é harmônico, encorpado, sobressaindo as notas de frutas vermelhas e café, os taninos estão bem presentes mas não incomodam. Aroma de boca muito intenso e persistente.
Nota IV: 90
Média grupo: 88
Idas e Vinhas
90% Petit Manseng –  10% Petit Courbu. 13,5% de álcool. Fermentação seguida de afinamento de nove meses em barricas novas de carvalho francês, com bâtonnage das borras por seis meses.
Cor amarelo ouro. No exame olfativo apresentou notas muito finas, intensas e persistentes de flor de laranjeira e jasmim, manga, pêssego, damasco, tangerina, maracujá, baunilha e mel. Em boca é doce e encorpado, está redondo, com acidez viva e as notas das frutas de polpa amarela e o mel ganham amplo destaque. Seu final de boca é muito persistente com retrogosto frutado e levemente tostado.
Maravilhoso!!!
Nota IV: 95
Média grupo: 93,7
Idas e vinhas