Provamos e aprovamos… vinhos Mario Marengo – Barolo DOCG Brunate 2011

Idas e Vinhas

O último vinho da
série Mario Marengo foi o Barolo DOCG Brunate 2011, o de mais
alta gama da vinícola ao lado do Bricco delle Viole (leia sobre o vinho aqui). As uvas (não custa lembrar, 100% Nebbiolo) vêm do
valorizado cru Brunate, na comuna de La Morra. São 1,5 ha de videiras plantadas em 1950 que rendem uma produção anual de cerca de
6000 garrafas.

Leia um pouco mais sobre o produtor aqui.
Veja o que achamos do Dolcetto D’Alba 2013 aqui.
Veja o que achamos do Barbera D’Alba Vigneto Pugnane DOC 2013 aqui.
Veja o que achamos do Nebbiolo D’Alba 2013 aqui.
Veja o que achamos do Barolo Bricco Delle Viole DOCG 2011 aqui.
O vinho, cuja
primeira safra foi lançada em 1974, amadurece por 24 meses em barricas de
carvalho francês 25% novas. Foi com esse Barolo que Mario Marengo alcançou
reputação, tornando-se reconhecido pelos vinhos com muito pouca influência da
madeira mas ainda assim estruturados, muito equilibrados, de caráter frutado e
muito agradáveis de beber. Enquanto o Bricco delle Viole mostre, embora sutilmente, mais aromas relacionados à passagem em madeira, o Brunate exibe o frescor da hortelã e tem ênfase nas frutas vermelhas maduras e especiarias.

Em 2013 o Barolo Brunate esteve presente na lista dos 50 melhores vinhos da revista inglesa Decanter.

Vamos ao vinho?
Barolo DOCG Brunate
2011
100% Nebbiolo, do
vinhedo Brunate, em La Morra, DOCG Barolo. 14,5% de álcool.
Cor vermelho granada,
muito brilhante e com a leve transparência típica da Nebbiolo (o que a faz
muitas vezes ser confundida em um primeiro momento com a Pinot Noir). Embora
comece fechado no nariz, vale a pena deixá-lo descansando na taça por alguns
minutos ou aerá-lo no decanter. Quando é liberada, a gama aromática é ampla e
complexa, com notas florais (violetas), de frutas vermelhas (cassis), vegetais
(tabaco) e de especiarias adocidadas (baunilha), picantes (pimenta do reino) e
refrescantes (hortelã). São aromas muito intensos e com boa persistência.
Em boca confirma-se
a variedade aromática sentida no nariz acrescida de frutas maduras e secas
(tâmaras). Os taninos estão muito bem integrados à boa acidez e ao álcool,
resultando em um vinho harmônico. De corpo médio, é muito intenso e muito
persistente. Final intenso e longo, com fundo frutado e refrescante.
Embora longe de
estar maduro, consideramos que já está em fase ótima de beber!!
Nota IV: 92
WS: 93
Pedidos RJ:
contato@idasevinhas.com.br
Idas e Vinhas

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *