Notícias da enosfera… Na Grécia Carnaval é Vinho!

Samba e cerveja no Brasil, máscaras em Veneza, e na Grécia? Vinho, muito vinho!
Como parte das celebrações do Carnaval na cidade de Naoussa, no Nordeste da Grécia, a fonte localizada na praça central da cidade é cheia com 32 toneladas de vinho tinto. Certamente garante a diversão de moradores e turistas.

Idas e Vinhas

As festividades duram 12 dias, e a responsável pela façanha é a Cooperativa Agrícola VAENI. O objetivo é atrair mais visitantes para a cidade grega que busca provar que é a “Cidade do Vinho”.

A primeira edição do evento foi em 2008. A casta utilizada é a autóctone Xinomavro, a segunda uva tinta mais plantada em toda a Grécia (perde apenas para a Agiorgitiko).
Xinomavro tem alta acidez e dá origem a vinhos com excelente potencial de envelhecimento. De acordo com Jancis Robinson, nos vinhos jovens os aromas dominantes são intensos de frutas vermelhas tais como morangos e ameixas. Com o tempo, os aromas evoluem para tomates, azeitonas e frutas secas. Os taninos vão se tornando mais macios a medida que envelhecem em garrafa, conferindo complexidade e elegância ao vinho.
Os vinhedos de Naoussa são legalmente registrados como Zona de Denominação de Origem, e abrangem cerca de 700 hectares. A produção total da DO chega a 2,5 milhões de litros/ano, dos quais 30-40% são exportados. Outros 2 milhões de litros de tinots, brancos e rosés são produzidos sem o selo da apelação.
Idas e Vinhas

Fontes para esse post:
Greek reporter
VAENI
Robinson, Jancis; Harding, Julia; Vouillamoz, José. Wine Grapes.2012.

Créditos das fotos: Facebook da VAENI

Provamos e aprovamos… Botaina Jerez Amontillado Seco Viejo

Idas e Vinhas

A linha
La Ina, que inclui o Botaina, faz parte do grupo Caballero
que foi fundado em 1830 por Don José Caballero do Lago. Hoje o grupo é
dono de marcas de rum, gin, licores, brandy e vinícolas localizadas em Jerez,
Rioja e Rueda.

Para
entender um pouco mais sobre Jerez leia aqui o post
que escrevemos.
Mesmo
após ter sido comprada do grupo Domecq pelo grupo Caballero, a solera
La Ina permaneceu na histórica bodega La Mezquita, com o
propósito de preservar as características originais e o estilo particular do
vinho. A equipe responsável pela produção dos vinhos foi mantida e é a mesma
até hoje, mesmo tendo o gerenciamento sido transferido para a Lustau
(outra marca do grupo Caballero). 
Idas e Vinhas

Já as
soleras dos Botaina, Rio Viejo e Viña 25 foram realocadas para
a bodega da Lustau, em Jerez.
As uvas
para os vinhos-base das sobretablas são provenientes tanto de vinhedos pertencentes
ao grupo como compradas de produtores que as cultivam conforme os critérios de
qualidade exigidos pelo enólogo da Lustau.
Vamos
ao vinho?
100%
Palomino Fino. 18,5% de álcool. A solera foi fundada em 1918.
Bela
cor amarelo âmbar de média intensidade e com reflexos alaranjados. No nariz
mostrou aromas bastante finos, intensos e persistentes de ameixa e figo secos,
banana e uva passa, amêndoas e avelãs, café e notas de tabaco. No paladar muito
seco, com acidez viva, de médio corpo e álcool equilibrado. Os aromas de boca
são bastante finos, muito intensos e persistentes, o café a as amêndoas se
destacando. Final longo e muito persistente, com retrogosto tostado e
amendoado.
Temperatura de serviço:
entre 13ºC e 14ºC.
Nota IV: 90
R$126,91
Importadora: Vinci
Idas e Vinhas