Luto…

Enquanto estamos aqui nos EUA em uma viagem dedicada aos nossos projetos do Idas e Vinhas, recebemos a terrivel noticia de que nosso amigo e socio Claudio Lucena foi mais uma vitima da violencia do Rio de Janeiro.

Estamos chocados e sem palavras, sentindo muita dor pois os planos originais eram de que ele estaria aqui conosco.

Infelizmente nao podemos estar com a familia e demais amigos nesse momento, mas nao poderiamos deixar de expressar nossas condolencias e nosso luto pela perda dessa pessoa sensacional, correta e batalhadora. Lucena, descanse em paz, amigo!!

Alexandre e Ana.

Claudio Lucena, Ana e Alexandre Follador

Idas e Vinhas na estrada… Napa Valley

Idas e Vinhas

Hoje, 25 de Outubro de 2014, fizemos nossa última visita. Saímos
do Napa Valley em direção a Sonoma, com destino à Black Kite,
conceituada produtora de Pinot Noir. Na verdade a maioria das uvas para os
vinhos produzidos pela Black Kite são provenientes da propriedade da família
localizada em Anderson Valley, na região costeira de Mendocino
(cerca de duas horas de carro em direção ao norte de São Francisco).

Rebecca e Tom nos receberam em sua casa (que
funciona como escritório) em Santa Rosa, onde pudemos degustar diversos rótulos
de ótimos Pinot Noir e um Chardonnay (aguardem o post com o relato completo da
visita).
Estávamos preparados para ir a São Francisco
amanhã pela manhã, mas Rebecca nos falou sobre um interessante evento dedicado
à Pinot Noir. É a 11ª edição do Pinot on the River, em Healdsburg – conhecida como
uma das capitais do vinho do Norte da Califórnia, localizada em Sonoma County
na interseção de três importantes regiões vinícolas: as AVA Russian River,
Dry Creek e Alexander Valley.

Então, lá vamos nós! Compramos as
entradas e partiremos logo cedo para o evento que começa às 11h e vai até às
16h. São cerca de 100 produtores de Pinot Noir de toda a Costa Oeste.

Aconteceu… New York Wine Experience 2014 – 2º dia, 17/10/2014

Idas e Vinhas

Dois dias e cerca de 90 vinhos depois
encerramos nossa participação no WS New York Wine Experience 2014! Para
aqueles que adquiriram o pacote completo, hoje ainda é dia de agenda cheia com degustações
orientadas e o jantar de encerramento.
Veja aqui como foi o primeiro dia.

Idas e Vinhas

Mas podemos dizer que nossa escolha foi
acertada. Para aquilo que nos propusemos, degustar grandes vinhos e conversar
com os produtores, as duas noites de degustação foram ótimas.
Finalmente conseguimos degustar o vinho
de sobremesa mais famosos do mundo, o icônico Château d’Yquem. E que
vinho…a acidez perfeita confere o equilíbrio necessário para que o açúcar não
sobressaia em demasia.
Idas e Vinhas

Conversamos com os Douro Boys da Quinta do Crasto (Miguel Roquette)
e da Quinta do Vale Meão (Francisco Olazabal), bastante
simpáticos e com excelentes vinhos. Logo ao lado estava o stand da israelense Yarden
– Golan Heights
, cujos vinhos conhecemos em uma visita à Israel (veja aqui o post
sobre o chardonnay) e consideramos muito bons.
 

Idas e Vinhas
Quinta do Vale Meão (Francisco Olazabal)
Idas e Vinhas
Quinta do Crasto (Miguel Roquette)
Idas e Vinhas
Yarden – Golan Heights
No stand da Caymus (que
visitaremos semana que vem) estavam apresentando o vinho de comemoração de 40
anos da vinícola (safra de 2012).
Idas e Vinhas
E por aí a noite foi seguindo…um
desfile de grandes vinhos e ótimas experiências.
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas
Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas
Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Aconteceu…New York Wine Experience 2014 – 1º dia, 16/10/2014

Idas e Vinhas

Podemos dizer que a primeira etapa foi
cumprida com louvor! Com ótima organização, foi só apresentar a entrada que
havíamos impresso no Brasil e pontualmente às 19h30 entramos literalmente no
mundo do vinho!

 Idas e Vinhas

Ano passado (veja aqui)
iniciamos pelos Champagne e espumantes, mas esse ano decidimos inverter a ordem
e iniciar pelos tintos. Outra estratégia que utilizamos foi a de permanecer em
um piso a cada dia (os 250 expositores estão distribuídos pelos 5º e 6º andares
do hotel), e ontem visitamos o 6º piso, onde estavam o maior número de stands
que selecionamos visitar.
Idas e Vinhas

Com apenas 2 horas e meia para degustar
tantos vinhos de alta gama, consideramos que fizemos uma boa maratona.
Visitamos cerca de 40 dos 55 produtores selecionados. Isso porque paramos para conversar
com os mais simpáticos (incluindo aqui algumas das vinícolas que visitaremos na
próxima semana, em Napa), tiramos fotos, ou seja, sem muita correria.
Iniciamos pela Itália, com excelentes
supertoscanos, passando por França, Estados Unidos, Nova Zelândia, África do
Sul…
Para ajudar na maratona alcoólica, um excelente buffet com antepastos, pratos quentes e sobremesas das mais variadas influências étnicas.
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Destaques da noite:
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas
Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas
Hoje continuamos a missão. Voltaremos
rapidamente ao 6º piso para tentar provar alguns vinhos que já haviam se
esgotado (Château Margaux, Carter, etc.) e nos concentraremos no 5º piso, onde
estão os Portugueses, mais França, Itália, etc., etc…..

Idas e Vinhas na estrada….New York e Napa Valley

Malas prontas! Partimos hoje à noite, 13 de Outubro, para a edição 2014 da Wine Spectator’s New York Wine Experience. 

Da mesma forma que em 2013, participaremos das degustações que este ano ocorrem dia 16 e 17 de Outubro, nos salões do hotel New York Marriot Marquis.
Nas Critics’ Choice Grand Tastings, 250 dentre as mais famosas vinícolas do mundo irão oferecer um de seus melhores rótulos durante as duas noites (a exigência é que tenham obtido nota superior a 90 pontos da WS). Confira aqui a listagem das vinícolas confirmadas.
Mas nossa viagem não termina por aí. Dia 20 cruzaremos o continente seguindo para as regiões de Napa e Sonoma, onde visitaremos vinícolas muito interessantes.
As que já confirmamos:
1. Carter Cellars,  com seus 11 Cabernets elaborados com uvas de 6 vinhedos diferentes
2. Caymus, onde provavelmente seremos recebidos pelo próprio dono, Chuck, que conhecemos no evento do ano passado;
3. Domaine Carneros, com seus espumantes reputados;

4. Peter Michael, Sir Peter Michael é internacionalmente conhecido pelos seus brancos (Chardonnay e Sauvignon Blanc) longevos;
5.Bevan Cellars, famosa pelos vinhos Shyrah, Merlot e Cabernet Sauvignon
6.Black Kite (Anderson Valley), região famosa pelos seus Pinot Noir frescos e frutados.

Aconteceu…. Degustação Idas e Vinhas – Dão X Douro

Idas e Vinhas

Na última quinta-feira, 09 de Outubro, Portugal foi o tema da degustação
que promovemos no Restaurante Ráscal do Rio Sul. Foram 6 rótulos contrapondo as
características de brancos e tintos produzidos no Douro e no Dão, duas das mais
conceituadas regiões vinícolas portuguesas.

 Os participantes foram recebidos a partir da 19h com o espumante Abreu Garcia Festividad,
produzido na serra catarinense pelo método champenoise,
e às19h30 iniciamos a degustação.
Uma vez que todos já estavam acomodados e as comidinhas já estavam sendo
servidas, iniciamos nossa jornada pelas regiões consideradas por muitos como as
mais belas do mundo do vinho. 

A ordem de apresentação dos vinhos foi a seguinte:
Brancos:
Castas: Códega do Larinho, Rabigato e Viosinho
Castas: 100% Encruzado
Tintos:
Castas: 28% Alfrocheiro, 28% Touriga Nacional, 26% Jaen, 18% Tinta Roriz
Castas: 40% Touriga Franca, 38% Touriga Nacional, 22% Tinta Roriz
Quinta da Falorca – Colheita Selecionada 2006 (Dão)
Castas: 60% Touriga Nacional, 15% Alfrocheiro, 15% Jaen, 10% Rufete
Castas: 10% Sousão, 10% Tinta Amarela, 20% Touriga Nacional, 30% Tinta
Roriz e outras 30%
Mas não terminou por aí!
Decidimos acrescentar dois rótulos que compuseram uma prova de vinhos
portugueses (veja aqui
o post) que se enquadravam no tema da degustação e se destacaram pela razão
custo/qualidade. Foram eles:
Skeffington –
Ruby Port (Porto)
 
Idas e Vinhas

Os destaques da noite: 
Entre os brancos, os convidados elegeram o Quinta dos Roques Encruzado
2012, aromático e estruturado.
Entre os tintos, a maioria se rendeu ao Domingos Alves de Sousa –
Quinta da Gaivosa Vinha de Lordelo 2007
, produzido a partir das vinhas mais
velhas da propriedade (mais de 100 anos) e com rendimento muito reduzido
(apenas 10 hL/ha).
O Fronteira ganhou como a revelação da noite. Um vinho muito bom,
com excelente preço.
Agradecemos a todos que compartilharam conosco essa ótima noite, e à
equipe do Ráscal que nos deu todo o apoio!

Fiquem atentos às próximas degustações, será um prazer tê-los conosco.

Degustação técnica: Prosecco e Vinhos Portugueses

Idas e Vinhas

Há alguns meses temos feito uma série de
provas técnicas para selecionar os vinhos para a composição do nosso portfólio.
Na última segunda-feira, dia 06 de Outubro, embora tenhamos iniciado com um
Prosecco, a tônica foi Portugal, e foram nada menos que 6 rótulos!


Estes vinhos são importados pela Palácio dos Vinhos.
Vamos aos vinhos?
Glera, 11% de álcool.
Cor amarelo palha, límpido e brilhante.
Apresentou perlage de média persistência, com tamanho irregular e média
quantidade de bolhas, não chegando a formar colar na superfície da taça.
No nariz, os aromas são agradáveis, boa
intensidade e média persistência. Apresentou notas florais, mel, maçã verde, pera,
abacaxi e um leve tostado. Em boca mostrou boa qualidade do CO2, bom
corpo e boa acidez. As frutas são confirmadas, destacando-se o abacaxi. Final
de média persistência.
Embora seja Extra Dry, o açúcar residual é
notadamente percebido.
Veja aqui o post
que escrevemos sobre Prosecco.
Nota IV: 76
R$55 
Idas e Vinhas

Quinta da Romeira – Prova Régia 2012
(Vinho Regional de Lisboa – Portugal)
100% Arinto, 12,5% de álcool
Cor amarelo palha, límpido e brilhante.
Apresentou intensos aromas florais (jasmim e flor de laranjeira), abacaxi e
maçã vermelha. Em boca é fresco, de médio corpo, os aromas são confirmados,
principalmente os florais. Seu final é de muito boa persistência com fundo
levemente adocicado.
Bom vinho para os dias quentes do Rio de
Janeiro.
Nota IV: 85
R$46,90 
Idas e Vinhas

Touriga Nacional Touriga Franca e Tinta
Roriz, 14,5% de álcool, estágio por 6 meses em carvalho francês.
Cor vermelho rubi com reflexos granada.
No nariz apresentou aromas finos, intensos e persistentes de cassis, melado de
cana, uva passa, chocolate, noz moscada, hortelã e defumado. Encorpado, em boca
mostrou equilíbrio entre acidez, álcool e taninos (marcantes, mas de boa
qualidade). Os aromas do nariz foram confirmados, com destaque para a uva passa
e o chocolate. Final muito persistente com fundo adocicado (passas).
Muito bom custo/benefício.
Nota IV: 90
R$55 
Idas e Vinhas

Aragonés, Trincadeira, Afrocheiro,
Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, 14% de álcool.
Cor vermelho rubi. Com aromas finos e
persistentes de frutas negras (groselha), violetas, cogumelos, terra molhada e
café. De corpo médio, em boca é seco, com boa acidez, taninos agradáveis e
álcool equilibrado. Final muito persistente com fundo adocicado (caramelo e
baunilha).
Nota IV: 88
R$77,80 
Idas e Vinhas

Quinta da Romeira – Principium 2012
(Vinho Regional de Lisboa – Portugal)
Cabernet Sauvignon e Touriga Nacional,
13,5% de álcool.
Cor vermelho rubi. No nariz apresentou
finos aromas de frutas negras, flores, pimenta do reino, um certo aroma vegetal,
defumado e café. Em boca as frutas negras e o café se destacam. Apresentou
médio corpo, bom equilíbrio entre acidez, taninos e álcool. Aroma de boca fino,
com boa intensidade e final muito persistente, com fundo frutado.
Nota IV: 87
R$47 
Idas e Vinhas

Castelão, Cabernet Sauvignon, Touriga
Nacional e Aragonês, 13% de álcool.
Cor vermelho rubi. Com aromas finos,
intensos e persistentes de frutas negras muito maduras, flores, menta e tabaco.
Em boca é de médio corpo, com boa acidez e taninos marcantes (agradáveis). Final
persistente com fundo adocicado.
Nota IV: 86
R$42,70 
Idas e Vinhas

Skeffington – Ruby
Port (Porto – Portugal)
20% de álcool
Cor vermelho rubi. Com aromas finos,
intensos e persistentes de flores, geléia de frutas, pimenta, menta, e licor de
cassis. Em boca é doce, fresco, redondo, encorpado e com taninos muito
marcantes. As notas florais, a geleia de frutas e o frescor da menta se
destacam. Final persistente, com fundo tostado.
Nota IV: 88
R$49,50
Idas e Vinhas