Borgonha e Champagne: candidatos ao status de Patrimônio Mundial da UNESCO

Idas e Vinhas
Foto do site da Decanter

Ontem, 14 de janeiro,
a revista Decanter publicou em seu
site uma interessante nota a respeito da possível inclusão das regiões da Borgonha e de
Champagne como Patrimônio Mundial da UNESCO.

A
proposta do governo francês tem como objetivo colocar os vinhedos da Borgonha e
todos a estrutura de Champagne na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO. Os produtores receberam muito
bem essa notícia uma vez que perderam a chance no ano passado.
 
O
ministério da cultura da França propôs que os vinhedos da Borgonha (foto), com
os seus variados e inúmeros tipos de solo façam parte do Patrimônio Mundial da
UNESCO. Para Champagne, a proposta vai além: não apenas os vinhedos, mas também
as casas e caves seriam agraciadas com o título.
O
movimento surgiu após alguns ministros terem desprezado as duas regiões
vinícolas na etapa de indicações para a lista de 2013. Eles optaram por
apresentar pinturas em cavernas com 25.000 anos de idade em Chauvet e os
vulcões de Auvergne.
“Havia
muito tempo que queríamos fazer isso”, disse Claude Chevalier, presidente da BIVB e também da Domaine Chevalier. “Precisamos proteger
o nosso patrimônio. Estamos fazendo isso para os nossos futuros primos em 20 ou
30 anos.”
Ele
acrescentou que a lista da UNESCO
poderia ajudar a prevenir o desenvolvimento da urbanização que vem avançando
sobre os vinhedos. “Nós temos um problema porque todo mundo quer viver na Cote
d’Or”, disse ele.
“Nós
somos diferentes”, disse Florence
Garnier
, diretor de vendas do Château
de Santenay
, que possui 98ha de vinhedos na Borgonha, incluindo 72ha em
Mercurey. “Não é porque somos franceses, é por causa da nossa geologia, clima e
séculos de conhecimento.”
Mas
a indicação ao Comitê do Patrimônio Mundial da UNESCO não deve ocorrer antes de
2015. Se aprovada pelos 21 membros do Comitê, Borgonha e Champagne irão compor
a lista dos representantes do patrimônio vinícola francês juntamente com a região
de Saint-Emilion, incluída em 1999. Confira aqui
a lista completa dos sítios que compõem a Lista do Patrimônio Mundial.
Um
porta voz do conselho do setor de Champagne disse à Decanter que compor a lista
iria “ajudar os consumidores a entender que Champagne – o vinho – só vêm da
região de Champagne.”
Virginie Taittinger, produtora do Virginie-T Champagne e filha de Claude Taittinger, ex-chefe da casa de
Champagne de mesmo nome, declarou: “Espero que Champagne tenha sucesso, mas o
nosso patrimônio não está em perigo – muito pelo contrário. Eu acho que os
melhores defensores do nosso patrimônio de Champagne são os milhões de
consumidores em mais de 120 países e, também, todos os visitantes que chegam de
todo o mundo.”

Este
texto é tradução livre da nota publicada pela revista Decanter no dia 14 de Janeiro
de 2014.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *