Decantar ou não decantar – eis a questão!

Idas e Vinhas

Recentemente
a revista inglesa Decanter
 conduziu um estudo intitulado “Guia para Decantar”,
onde o objetivo foi explorar os efeitos da decantação. O estudo foi
dividido em 3 etapas a serem publicadas nas edições mensais da revista. Na primeira etapa, publicada na edição de Novembro de 2013, 3 especialistas em degustação
conduziram o experimento com três safras de dois vinhos sendo um francês e um
americano.

A
metodologia

dois pontos a serem considerados: por quanto tempo o vinho deve permanecer no
decanter; e a comparação entre o vinho decantado com o que é degustado logo
após a abertura da garrafa.
Os
tempos de aeração dos vinhos foram definidos da seguinte forma: 4 horas, 2
horas, 1 hora e logo após a garrafa ter sido aberta. Duas garrafas de cada
vinho foram abertas em cada um dos tempos citados; uma foi decantada e a outra
não.
Todas
as garrafas estavam na mesma temperatura, os decanters eram da mesma marca e
modelo e a degustação não foi às cegas pois a proposta não era determinar qual
vinho ou safra é o/a melhor.
Um
dos maiores desafios da decantação é saber ajustar o tempo de aeração à safra
do vinho. O conselho usual é o de aerar por menos tempo os vinhos de safras
mais antigas (devido ao efeito indesejado da oxidação). Mas e quanto aos vinhos
jovens, se beneficiam se decantados por um período mais longo?
Os
rótulos escolhidos pelos especialistas foram o francês Château Lynch-Bages (Bordeaux –
Pauillac) e o americano Shafer Hillside Select Cabernet Sauvignon (Califórnia – Napa Valley). As safras: 1996
(no auge), 2000 (pronto para beber) e a 2006 (jovem).
Idas e Vinhas

Após
a degustação dos vinhos, as conclusões foram as seguintes:
1.   
Algum
tempo no decanter é melhor que nenhum.
2.   
Decantar
ou não faz diferença. No entanto, se essa diferença melhora o vinho é questão
de gosto pessoal.
3.  Deixar
a garrafa aberta durante 2 horas não é a mesma coisa que decantar durante o
mesmo tempo.
4.   
Decantar
com 1 hora de antecedência é uma boa ideia em todos os casos.
5.   
Decantar
com 2 horas de antecedência pode funcionar bem para vinhos jovens.
6.  Decantar
por longas horas pode ser arriscado, e quanto mais evoluído é o vinho maior é o
risco de oxidação durante o período no decanter.
7.   
Utilizar
um decanter com tampa pode ser um bom meio-termo. Permite que o vinho respire
enquanto evita a oxidação excessiva.
8.   Vinhos
muito ricos (encorpados e com aromas complexos) podem perder sua juventude com mais
tempo de decantação.
9.   
Por
outro lado, vinhos muito ricos mantém o seu frescor quando ficam em garrafa
aberta, não decantados.
10. Vinhos muito fechados
podem abrir quando decantados.
11. Não espere que um
vinho jovem ganhe maturidade com a decantação.
12. Normalmente durante
um jantar os vinhos ficam à mesa cerca de uma hora ou mais. Esse tempo deve ser
considerado na decisão de utilizar o decanter. Dessa forma, menor tempo de aeração
antes de servir é mais seguro.
13. É impossível
ressuscitar um vinho decrépito!

Para
saber mais sobre o assunto, leia aqui outro post que escrevemos a respeito da
decantação de vinhos.

Leia a 2ª parte: Decantar ou não decantar – eis a questão! Parte II: vinho do Porto vintage
Leia a 3º parte: Decantar ou não decantar – eis a questão! Parte III: Syrah Rhône & Shiraz Barossa Valley

2 thoughts on “Decantar ou não decantar – eis a questão!”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *