Decantar ou não decantar – eis a questão!

Idas e Vinhas

Recentemente
a revista inglesa Decanter
 conduziu um estudo intitulado “Guia para Decantar”,
onde o objetivo foi explorar os efeitos da decantação. O estudo foi
dividido em 3 etapas a serem publicadas nas edições mensais da revista. Na primeira etapa, publicada na edição de Novembro de 2013, 3 especialistas em degustação
conduziram o experimento com três safras de dois vinhos sendo um francês e um
americano.

A
metodologia

dois pontos a serem considerados: por quanto tempo o vinho deve permanecer no
decanter; e a comparação entre o vinho decantado com o que é degustado logo
após a abertura da garrafa.
Os
tempos de aeração dos vinhos foram definidos da seguinte forma: 4 horas, 2
horas, 1 hora e logo após a garrafa ter sido aberta. Duas garrafas de cada
vinho foram abertas em cada um dos tempos citados; uma foi decantada e a outra
não.
Todas
as garrafas estavam na mesma temperatura, os decanters eram da mesma marca e
modelo e a degustação não foi às cegas pois a proposta não era determinar qual
vinho ou safra é o/a melhor.
Um
dos maiores desafios da decantação é saber ajustar o tempo de aeração à safra
do vinho. O conselho usual é o de aerar por menos tempo os vinhos de safras
mais antigas (devido ao efeito indesejado da oxidação). Mas e quanto aos vinhos
jovens, se beneficiam se decantados por um período mais longo?
Os
rótulos escolhidos pelos especialistas foram o francês Château Lynch-Bages (Bordeaux –
Pauillac) e o americano Shafer Hillside Select Cabernet Sauvignon (Califórnia – Napa Valley). As safras: 1996
(no auge), 2000 (pronto para beber) e a 2006 (jovem).
Idas e Vinhas

Após
a degustação dos vinhos, as conclusões foram as seguintes:
1.   
Algum
tempo no decanter é melhor que nenhum.
2.   
Decantar
ou não faz diferença. No entanto, se essa diferença melhora o vinho é questão
de gosto pessoal.
3.  Deixar
a garrafa aberta durante 2 horas não é a mesma coisa que decantar durante o
mesmo tempo.
4.   
Decantar
com 1 hora de antecedência é uma boa ideia em todos os casos.
5.   
Decantar
com 2 horas de antecedência pode funcionar bem para vinhos jovens.
6.  Decantar
por longas horas pode ser arriscado, e quanto mais evoluído é o vinho maior é o
risco de oxidação durante o período no decanter.
7.   
Utilizar
um decanter com tampa pode ser um bom meio-termo. Permite que o vinho respire
enquanto evita a oxidação excessiva.
8.   Vinhos
muito ricos (encorpados e com aromas complexos) podem perder sua juventude com mais
tempo de decantação.
9.   
Por
outro lado, vinhos muito ricos mantém o seu frescor quando ficam em garrafa
aberta, não decantados.
10. Vinhos muito fechados
podem abrir quando decantados.
11. Não espere que um
vinho jovem ganhe maturidade com a decantação.
12. Normalmente durante
um jantar os vinhos ficam à mesa cerca de uma hora ou mais. Esse tempo deve ser
considerado na decisão de utilizar o decanter. Dessa forma, menor tempo de aeração
antes de servir é mais seguro.
13. É impossível
ressuscitar um vinho decrépito!

Para
saber mais sobre o assunto, leia aqui outro post que escrevemos a respeito da
decantação de vinhos.

Leia a 2ª parte: Decantar ou não decantar – eis a questão! Parte II: vinho do Porto vintage
Leia a 3º parte: Decantar ou não decantar – eis a questão! Parte III: Syrah Rhône & Shiraz Barossa Valley

Aconteceu…Degustação Casa Flora – 21 de Novembro de 2013

Idas e Vinhas

Ontem participamos de
uma degustação na Casa Flora para a qual Abel Mendes selecionou 6 vinhos: 3 do
novo mundo e 3 do velho mundo. Às cegas, estávamos livres para escolher por
qual começar e que ordem seguir, sem formalidades.

A mesa do showroom estava finamente preparada com uma seleção de frios
espanhois Josep Llorens, queijo de cabra,
azeites, pães, água Voss e o espumante argentino Alfredo Roca Cuvée Especial Brut
para abrir os trabalhos. Ao longo da degustação, bolinhos de bacalhau e
penne ao sugo foram providenciais.
Idas e Vinhas

Idas e Vinhas
Idas e Vinhas
Escolhemos
o percurso tradicional, degustando primeiro os vinhos do novo mundo. A decisão
foi acertada, pois pudemos perceber a ordem crescente de complexidade iniciando
com um agradável Pinot Noir australiano e finalizando com um excelente supertoscano.
Vamos
aos vinhos?
Estivemos
presente no coquetel de lançamento do vinho no Rio de Janeiro (veja aqui)
Apresentamos
este vinho (safra 2009) no evento “Vinhos
da Toscana
” (veja aqui)
Apresentamos
este vinho (safra 2009) no evento “Vinhos
da Toscana
” (veja aqui)
Idas e Vinhas
E
para finalizar e adoçar a noite, licor de café a base de tequila “Patrón XO Cafe”,
excelente!
Idas e Vinhas

A lista completa dos Top 100 2013 da Wine Spectator

Idas e Vinhas

Todos os anos a revista americana Wine Spectator lança a lista dos 100 melhores vinhos degustados pela equipe da revista – a Wine Spectator Top 100. A lista completou 25 anos em 2013.

A primeira foi lançada em 1988. Naquela época, o mundo do vinho era muito diferente do que é hoje. Não havia essa infinidade de rótulos e a quantidade de vinícolas era bem menor.

Em 1988 foram analisados 3000 vinhos entre França, Itália e Califórnia. Já em 2013 foram analisados espantosos 20 mil lançamentos, e o TOP 100 incluiu vinhos de 13 países e 4 estados Norte-americanos. 

A escolha dos vinhos é baseada em 4 itens:
1. Qualidade: representada pela nota dada ao vinho.
2. Valor: preço do vinho quando lançado (não pode ser muito caro). A média dos valores dos Top 100 foi de $51 e a nota WS 93, ou seja, uma razão custo/benefício bastante favorável.
3. Disponibilidade: quantidade de caixas produzidas ou importadas pelos EUA.
4. X-factor: “the excitement”, as sensações transmitidas pelo vinho quando provado. Em 2013 foi dada maior ênfase a fator, valorizando singularidade ou autenticidade.

Os rótulos dos 10 primeiros colocados

Idas e Vinhas

Vejam aqui os 10 primeiros de 2012

Abaixo a lista de 2013 completa

1 Cune Rioja Imperial Gran Reserva 2004 95 $63
2 Château Canon-La Gaffelière
St.-Emilion
2010 96 $103
3 Domaine Serene Pinot Noir
Willamette Valley Evenstad Reserve
2010 95 $65
4 Hewitt Cabernet Sauvignon
Rutherford
2010 95 $92
5 Kongsgaard Chardonnay Napa
Valley
2010 95 $75
6 Giuseppe Mascarello & Figlio
Barolo Monprivato
2008 95 $110
7 Domaine du Pégaü
Châteauneuf-du-Pape Cuvée Réservée
2010 97 $120
8 Château de Beaucastel
Châteauneuf-du-Pape
2010 96 $120
9 Lewis Cabernet Sauvignon Napa
Valley Reserve
2010 96 $135
10 Quilceda Creek Cabernet
Sauvignon Columbia Valley
2010 95 $135
11 Reynvaan Syrah Walla Walla
Valley Stonessence
2010 98 $70
12 Turley Zinfandel Paso Robles
Dusi Vineyard
2011 95 $42
13 Croft Vintage Port 2011 97 $93
14 Bedrock The Bedrock Heritage
Sonoma Valley
2011 95 $37
15 Olivier Ravoire Gigondas 2011 94 $33
16 G.D. Vajra Barolo Albe 2008 94 $42
17 Alexana Pinot Noir Dundee Hills
Revana Vineyard
2010 94 $42
18 Poggerino Chianti Classico 2010 93 $25
19 Hamilton Russell Chardonnay
Hemel-en-Aarde Valley
2012 93 $33
20 Chateau Dereszla Tokaji Aszú 5
Puttonyos
2007 95 $40
21 Le Macchiole Bolgheri 2011 93 $30
22 La Rioja Alta Rioja Viña Ardanza
Reserva
2004 94 $35
23 Seghesio Zinfandel Dry Creek
Valley Cortina
2010 94 $38
24 Livio Sassetti Brunello di
Montalcino Pertimali
2008 94 $55
25 Epoch Estate Blend Paderewski
Vineyard Paso Robles
2010 93 $40
26 Álvaro Palacios Priorat Les
Terrasses Velles Vinyes
2011 93 $40
27 Spring Valley Uriah Walla Walla
Valley
2010 94 $50
28 Domaine de l’A Castillon Côtes
de Bordeaux
2010 93 $34
29 R. López de Heredia Viña
Tondonia Rioja White Viña Gravonia Crianza
2003 93 $36
30 Lagier Meredith Syrah Mount
Veeder
2010 94 $48
31 Patz & Hall Pinot Noir
Carneros Hyde Vineyard
2010 95 $65
32 Bodegas Hidalgo Gitana
Manzanilla Jerez La Gitana
NV 91 $19
33 Ravines Riesling Finger Lakes
Dry
2012 91 $17
34 Bodegas Valdemar Rioja
Inspiración Selección
2010 91 $20
35 Château du Retout Haut-Médoc 2010 91 $18
36 Bodega Norton Malbec Mendoza
Reserva
2011 92 $20
37 Quinta do Passadouro Douro 2010 91 $25
38 Mollydooker Two Left Feet
McLaren Vale
2011 92 $25
39 Viña Herminia Rioja Excelsus 2009 93 $18
40 Château de Haute-Serre Malbec
Cahors White Label
2010 92 $24
41 Red Heads Studio Shiraz McLaren
Vale Barrel Monkeys
2011 91 $20
42 Altos Las Hormigas Malbec Uco
Valley Reserve
2011 91 $24
43 Godelia Godello Bierzo Selección 2010 91 $14
44 Viña Koyle Carmenère Colchagua
Valley Royale
2010 91 $26
45 Château Doisy Daëne Barsac 2010 94 $58
46 Beringer Cabernet Sauvignon
Knights Valley Reserve
2010 94 $60
47 Viña Santa Rita Triple C Maipo
Valley
2008 93 $40
48 Greywacke Pinot Noir Marlborough 2011 93 $39
49 Failla Chardonnay Sonoma Coast 2011 92 $34
50 COS Cerasuolo di Vittoria
Classico
2010 92 $35
51 Charles Smith Riesling Columbia
Valley Kung Fu Girl Evergreen
2012 90 $12
52 Paringa Shiraz South Australia 2010 90 $11
53 Domäne Wachau Riesling
Federspiel Trocken Wachau Terrassen
2011 90 $13
54 Honig Cabernet Sauvignon Napa
Valley
2010 93 $45
55 A to Z Wineworks Pinot Noir
Oregon
2011 90 $18
56 Robert Eymael (Mönchhof)
Riesling QbA Mosel
2011 90 $17
57 L’Ecole No. 41 Syrah Columbia
Valley
2010 91 $25
58 Avignonesi Vino Nobile di
Montepulciano
2010 91 $29
59 Donum Pinot Noir Carneros 2010 95 $72
60 Astrolabe Pinot Noir Marlborough
Province
2010 92 $28
61 Produttori del Barbaresco
Barbaresco
2007 92 $38
62 Concha y Toro Syrah Buin Marqués
de Casa Concha
2010 91 $22
63 Hourglass Merlot Napa Valley
Blueline Vineyard
2010 94 $75
64 Rodney Strong Cabernet Sauvignon
Alexander Valley Rockaway Single Vineyard
2010 94 $75
65 Joh. Jos. Prüm Riesling Spätlese
Mosel Graacher Himmelreich
2011 93 $42
66 Macarico Aglianico del Vulture
Macari’
2007 92 $25
67 Natacha Chave Crozes-Hermitage
Aléofane
2010 92 $35
68 Chateau Ste. Michelle Sauvignon
Blanc Horse Heaven Hills Horse Heaven Vineyard
2012 90 $15
69 Boutari Naoussa 2009 90 $18
70 Marcassin Pinot Noir Sonoma
Coast Marcassin Vineyard
2007 96 $125
71 Ashbourne Sandstone
Hemel-en-Aarde Valley
2008 93 $25
72 Shafer Relentless Napa Valley 2010 95 $72
73 Achával-Ferrer Malbec Mendoza
Finca Mirador
2011 96 $125
74 Lucia Pinot Noir Santa Lucia
Highlands Garys’ Vineyard
2011 93 $55
75 Domaine Overnoy-Crinquand Arbois
Pupillin Vieilles Vignes
2009 93 $49
76 M. Lapierre Morgon 2011 91 $30
77 Dehlinger Syrah Russian River
Valley Goldridge
2010 92 $40
78 J.J. Vincent & Fils
Pouilly-Fuissé Marie-Antoinette
2011 90 $25
79 Ken Wright Pinot Noir
Yamhill-Carlton District Savoya Vineyard
2010 93 $55
80 Querciabella Maremma Toscana
Mongrana
2010 90 $22
81 Quinta do Crasto Douro Reserva
Old Vines
2010 93 $47
82 Mamete Prevostini Valtellina
Superiore Sassella
2009 91 $30
83 Caymus Cabernet Sauvignon Napa
Valley Special Selection
2010 96 $130
84 Jolie-Pitt & Perrin Côtes de
Provence Rosé Miraval
2012 90 $28
85 Wynns Coonawarra Estate Cabernet
Sauvignon Coonawarra Black Label
2010 91 $35
86 Fontanafredda Barolo La Rosa 2008 95 $96
87 Graham Tawny Port 20 Year Old NV 93 $60
88 Pierre Paillard Brut Champagne NV 92 $48
89 Raymond Cabernet Sauvignon Napa
Valley Generations
2009 95 $100
90 Carlisle Zinfandel Napa Valley
Hayne Vineyard
2011 93 $48
91 Mastroberardino Taurasi Radici
Riserva
2006 94 $75
92 Château Larcis Ducasse
St.-Emilion
2010 94 $90
93 A.A. Badenhorst Family Swartland 2009 92 $42
94 Schiavenza Barolo Prapò 2009 94 $60
95 Bodegas Alto Moncayo Garnacha
Campo de Borja
2010 92 $45
96 Altesino Brunello di Montalcino
Montosoli
2008 95 $120
97 Louis Roederer Brut Champagne 2006 94 $78
98 Château d’Yquem Bordeaux White Y 2011 94 $150
99 Pierre-Yves Colin-Morey
St.-Aubin La Chatenière
2011 92 $48
100 Badia a Coltibuono Toscana
Cancelli
2011 90 $10
Há dois vídeos disponíveis no site que explicam como a lista é feita.

Aconteceu… Wine Spectator anuncia os 10 primeiros vinhos da lista dos top 100 de 2013

Acaba de ser publicada uma das mais esperadas listas dos melhores vinhos do ano.

A Wine Spectator acaba de revelar os 10 primeiros colocados do top 100 do ano de 2013.

No dia 18 de Novembro será revelada a lista completa e mais detalhes sobre os rótulos.

Os 10 primeiros foram os seguintes:

1º. Cvne Imperial Rioja Gran Reserva 2004 – Espanha (95 pontos)
2º. Château Canon-la Gaffelière – França (96 pontos)
3º. Domaine Serene Pinot Noir Willamette Valley Evenstad Reserve 2010 – Estados Unidos (95 pontos)
4º. Hewitt Cabernet Sauvignon Rutherfors 2010 – Estados Unidos (96 pontos)
5º. Kongsgaard Chardonnay Napa Valley 2010 – Estados Unidos (95 pontos)
6º. Giuseppe Mascarello & Figlio Barolo Monprivato 2008 – Itália (95 pontos)
7º. Domaine du Pégaü Châteauneuf du Pape 2010 – França (97 pontos)
8º. Famille Perrin Château de Beaucastel Châteauneuf du Pape 2010 – França (96 pontos)
9º. Lewis Cuvee L Cabernet Sauvignon – Estados Unidos 2010 (96 pontos)
10º. Quilceda Creek Cabernet Sauvignon Columbia Valley 2010 – Estados Unidos (95 pontos)

Idas e Vinhas

Vejam aqui os 10 primeiros de 2012

A importadora e distribuidora ASA Gourmet se prepara para as festas de final de ano com rótulos espanhóis e nacionais

Idas e Vinhas
Esta é a época do ano em que os
brasileiros mais consomem vinhos e espumantes. As bebidas, tão tradicionais
quanto à troca de presentes, fizeram com que o período se caracterizasse como o
mais importante para as vendas destes itens, principalmente durante a festa de
Reveillon.

 Para celebração, a ASA Gourmet importou
o espanhol, Cava Gilmas Brut 2009
(R$ 72,50). Elaborado unicamente com uvas dos vinhedos próprios, de cor amarelo pálido com reflexos dourados,
borbulhas finas e persistentes. No paladar, límpido e  fresco com aromas
frutados e suaves notas cítricas, além de agradável equilíbrio e acidez.
Idas e Vinhas

Outra
opção é o vinho Marques de Gelida Negre Selecció (R$65,00) que
conta com delicados aromas florais, de frutas vermelhas e paladar muito macio,
taninos doces e bem equilibrados.

Os produtos nacionais também não ficam
de fora da seleção. A ASA Gourmet reforçou o estoque de vinhos e espumantes
nacionais da vinícola Pericó para atender a demanda de final de
ano. O espumante Cave Pericó Rosé (R$ 43,50) é
uma das apostas para data. Com  visual rosa salmão claro, a bebida possui aroma fino e
delicado com notas de frutas vermelhas e florais lembrando rosas. No paladar,
ótima acidez, equilibrado, boa cremosidade, persistente e com retro olfato
agradável e frutado.
Idas e Vinhas

ASA Gourmet

Site:
www.anasantosalimentos.com.br

*Texto e informações fornecidas pela ASA Gourmet.

Aconteceu… Coquetel de lançamento dos vinhos australianos Jacob’s Creek no Rio de Janeiro – 04 de Novembro de 2013

Idas e Vinhas
Estivemos
presentes no coquetel de lançamento dos vinhos australianos Jacob’s Creek no Bar d’Hotel (Marina All
Suites), na praia do Leblon. O evento contou com a presença do enólogo Bernard Hickin e reuniu a imprensa, clientes
e amigos da importadora Casa Flora.

Os
vinhos da Jacob’s Creek já haviam sido apresentados no evento da Casa Flora Wine Gourmet que aconteceu no dia 20 de Maio de 2013 (veja aqui
como foi). Foi a comprovação de que a importadora e a vinícola estavam
começando a firmar uma promissora parceria.
Foram
apresentados oito rótulos dentre os 21 que a vinícola produz:
Jacob’s Creek Chardonnay 2012 – (linha Classic)
Jacob’s Creek Reserve
Sauvignon Blanc 2013 – (linha Classic)
Jacob’s Creek Shiraz 2011
– (linha Classic)
Idas e Vinhas

A
vinícola faz parte do grupo Pernord Ricard,
que só trabalha com produtos premium
(Absolut e Chivas) e possui 4 marcas de vinho em seu portfólio e tem como
garoto propagando ninguém menos que o ex tenista Andre Agassi
Idas e Vinhas

Os
vinhos foram apresentados pelo enólogo Bernard
Hickin
de forma clara, simples e objetiva. A proposta da marca é trazer ao
consumidor brasileiro produtos com boa razão custo benefício. Nossa opinião é
que a intenção é válida. São vinhos de muito boa qualidade e que chegam ao consumidor
final entre R$55,00 (a linha Classic) e R$ 160,00 (Super Premium).
 

Idas e Vinhas
Bernard Hickin ao centro e Humberto Carcamo (Casa Flora)
Os
vinhos da linha Classic e Reserve são frescos, frutados e fáceis de beber. Difícil
não agradar.
Gostamos
bastante do vinhos, com destaque para dois deles: Chardonnay 2012 (linha Classic)
e St. Hugo Cabernet Sauvignon 2010 (linha Super Premium).
O
Chardonnay é bastante fresco e aromático, com destaque para aromas de frutas
cítricas e leve tostado. 

O
St. Hugo Cabernet Sauvignon teve a sua primeira safra 1980, lançada em 1983. O
vinho é elaborado a partir das pequenas parcelas de vinhas velhas de Cabernet
Sauvignon da região de Conawarra. Estagia por 18 meses em carvalho francês. É
encorpado, frutado e com boa acidez, mas ainda está muito jovem. Demonstra que
tem excelente potencial de guarda.
Idas e Vinhas
Abel Mendes (Casa Flora), Maurício Szapiro (Selo Reserva) e Mauricio Leme (Casa Flora)

Aconteceu… Wine Spectator’s New York Wine Experience – New York, 24 a 26 de Outubro de 2013

Idas e Vinhas

O Wine Spectator’s New York Wine Experience é a oportunidade de, em 3 dias e
em um único lugar, reunir os grandes nomes da vitivinicultura mundial para
celebrar os seus vinhos junto ao público.

 Idas e Vinhas
O
evento desse ano aconteceu nos salões do 5º e 6º andar do hotel New York Marriott Marquis e ofereceu duas opções de participação:
1.
Passaporte completo no valor de $1875 (hospedagem não incluída), que dava
direito aos seminários (degustações exclusivas e apresentações) que aconteciam
ao longo do dia (sexta e sábado), degustações premium entre 18h30 e 22h (Critics’
Choice Grand Tastings
, quinta e sexta-feira) e almoços harmonizados (sexta
e sábado), além de garantir lugar no jantar de gala no sábado.
2. Opção mais econômica que garantia o acesso às Critics’ Choice Grand Tastings, a um
custo de $250 por noite. O acesso para quem
fez esta escolha era liberado a partir das 19h30 e o término às 22h. As
entradas para o jantar de gala também eram vendidas de forma avulsa ($400).
Todos os 1000 ingressos para o passaporte completo foram esgotados,
bem como as 500 unidades para cada dia do Critics’ Choice Grand Tastings.
Os seminários
Para quem optou pelo pacote completo, as atividades iniciavam
com café da manhã, com direito a champagne no primeiro dia, e logo em seguida
eram convidados a ocupar seus lugares no salão de degustação para uma
verdadeira maratona enológica. Durante todo o dia, na sexta feira e sábado, os
participantes tiveram a oportunidade de presenciar degustações de alto nível, dirigidas
pelos proprietários, CEO ou enólogos das vinícolas.
As informações seguintes foram obtidas no site oficial do
evento e também com o testemunho do nosso amigo e professor Roberto
Rodrigues
, que adquiriu o passaporte completo.
Uma das degustações foi a vertical com quatro safras raras do
badalado champagne Cristal Louis Roederer Brut 2002 (92 pontos), 1996 (94 pontos), 1990 (94) e o Louis Roederer Brut Rosé Champagne Cristal 2002 (90 pontos), apresentados pelo
CEO da casa Fréderic Rouzaud.
Um
dos mais respeitados produtores californianos, Sir Peter Michael conduziu a degustação dos seus 5
vinhos mais bem pontuados:
1. Chardonnay Sonoma County La Carrière 2009 (93 pontos);
2.  Pinot Noir Sonoma Coast Ma Danseuse 2011;
3. Sauvignon Blanc Knights Valley L’Après-Midi 2011 (91 pontos);
4.  Les Pavots Knights Valley 2007 (95 pontos);
5.  O
primeiro Cabernet Sauvignon dos vinhedos de Oakville.
Quatro
safras raras de Riesling alemães de colheita tardia apresentadas pelos seus
produtores:
1. Gunther Hauck com o Bassermann-Jordan Riesling Beerenauslese Pfalz Deidesheimer Hohenmorgen 2010;

2. Fritz Hasselbach apresentou o Gunderloch Riesling Trockenbeerenauslese Rheinhessen Nackenheim Rothenberg 2007 (97 pontos);

3. Nik Weis apresentou o Weingut St. Urbans-Hof Riesling Beerenauslese Mosel Saarfeilser 2 010 (94 pontos);

4. Christian Witte com o Schloss Johannisberg Riesling Trockenbeerenauslese Rheingau Goldlack 2011.

Os
incríveis vinhos do Château de Beaucastel conduzidos por Marc
Perrin
:
1. Château de Beaucastel Châteauneuf-du-Pape White Vieilles Vignes 2010 (96 pontos);
2. Château de Beaucastel Châteauneuf-du-Pape 2009 (96 pontos) e 2001 (93 pontos);
3. Château
de Beaucastel Châteauneuf-du-Pape Hommage à Jacques Perrin Grande Cuvée 2001
(95 pontos).
   Manuel Louzada (Bodegas Numanthia-Termes,
Espanha) apresentando uma vertical do Numanthia-Temes Toro Termanthia 2009, 2007, 2006 e 2003 ambas com 94, 93, 95
e 95 pontos.
    Outra esperada
apresentação foi a de Angelo Gaja com os quatro ícones Ca’Marcandaa Bolgheri 2009
(92 pontos), Pieve Santa Restituta Brunello di Montalcino Sugarille 2006 (94 pontos), Gaja Barbaresco 2010 e Gaja
Langhe Nebbiolo Sperss 1998 (93 pontos).
Os
10 primeiros colocados da lista dos Top 100 do ano de 2012 publicados pela Wine
Spectator foram apresentados pelos seu proprietários e enólogos:
1. Shafer Relentless Napa Valley 2008 (96 pontos)
2.Château de St.-Cosme Gigondas 2010
(95 pontos)
3. Two Hands Shiraz Barossa Valley Bella’s Garden 2010 (95 pontos)
4. Clos des Papes Châteauneuf-du-Pape 2010 (98 pontos)
5. Château Guiraud Sauternes 2009 (96 pontos)
6. Château Léoville Barton St.-Julien 2009 (95 pontos)
7. Shea Pinot Noir Willamette Valley Shea Vineyard Estate 2009 (94 pontos)
8. Beringer Cabernet Sauvignon Knights Valley Reserve 2009 (94 pontos)
9. Ciacci Piccolomini d’Aragona Brunello di Montalcino 2007 (94 pontos)
10. Achával-Ferrer Malbec Mendoza Finca Bella Vista 2010 (95 pontos)
Ainda
houve espaço para o seminário com harmonização de pratos criados pelos
renomados chefs José Andrés, Emeril Lagasse e Jean-Georges Vongerichten e o restaurateur Danny
Meyer
.
Entre os seminários acontecia a apresentação de conceituados
produtores. Foram eles:
1. Michel Chapoutier, que apresentou o M.Chapoutier Ermitage White de l’Orée 2010 (97 pontos);
2. Paul Draper, com o Ridge Monte Bello Santa Cruz Mountains 2009 (95 pontos);
3. Frédéric Drouhin, com o Joseph Drouhin Bonnes Mares 1990 (93 pontos);
4. Álvaro Palacios, apresentou o Descendientes de J.
Palacios Bierzo La Faraona 2011;
5. Prince Robert of
Luxembourg
,
com o Château La Mission Haut-Brion Pessac-Léognan 2009 (96 pontos)
6. Justin Smith, com o Saxum James Berry Vineyard Paso Robles 2011
7. Matt Kramer apresentando os vinhos Dominio do Bibei Ribeira Sacra Lalama 2009, Guímaro Finca Ribeira Sacra Meixemán 2010 e Wine & Soul Douro Quintada Manoella Vinhas Velhas 2010.
O jantar de gala
Na
noite de Sábado foi servido o jantar de gala com direito a open bar de
champagnes com serviço volante de finger foods. Posteriormente os convidados
foram direcionados ao salão principal para o jantar.
O
evento foi finalizado com a presença do cantor, compositor e ganhador de 9
Grammy Awards John Legends.
Critics’ Choice Grand Tastings

Idas e Vinhas


Nós
optamos por participar apenas das Critics’ Choice Grand Tastings, nos
dois dias (24 e 25 de Outubro).
Recebemos as entradas cerca de duas semanas antes do evento,
e alguns dias depois chegou por e-mail o mapa da localização dos stands de todos os 264 produtores (veja aqui a lista) distribuídos
nos 2 andares do evento. Dessa forma pudemos traçar nosso plano de ação. E não
foi tarefa fácil! Como priorizar os vinhos, tendo apenas 5 horas no total e
tantas lendas presentes? As grandes casas de Champagne, as lendas de Bordeaux, da
Borgonha, célebres supertoscanos, californianos, os grandes do Chile, Portugal,
enfim, o paraíso para todo enófilo.
Tanto no primeiro dia quanto no segundo chegamos à
entrada do salão 30 minutos antes da abertura, e pouco tempo depois já havia
uma longa fila. De vez em quando passava alguém perguntando se queríamos vender
os nossos ingressos. Ouvimos comentários de alguém que se dispôs a pagar $3000
pelo ingresso!
Pontualmente às 19h30 a entrada foi liberada, e recebemos as
credenciais e um livro contendo todos os 264 produtores com o rótulo dos vinhos
a serem apresentados. O grande diferencial foi que cada produtor oferecia apenas
um rótulo, que obrigatoriamente tinha que ser um de seus grandes vinhos (com
nota igual ou superior a 90 pontos da Wine Spectator).
Idas e Vinhas

A
organização foi impecável. Na divulgação do evento foi informado que haveria um
light buffet” nos dois salões.
Quando fomos conferir, ficamos realmente impressionados. O termo mais
apropriado seria ‘banquete’. Tinha de tudo: variedades de queijos, embutidos,
presuntos, pães, grissinis, pastas, pratos frios, massas, carnes, mini cachorro
quente, mini hambúrgueres,… uma mesa repleta de doces finos e outra mesa com
chás e cafés. A decoração das mesas e do salão estava impecável.
Idas e Vinhas

À
medida que íamos avançando pelos stands
marcávamos no mapa, e conseguimos provar um total de 60 vinhos (somando os 2
dias). E podemos dizer que ficamos bastante satisfeitos com esse número, pois
provamos até com certa tranquilidade os vinhos que sempre quisemos conhecer,
além de outros que já conhecíamos mas ficamos felizes em poder provar
novamente.
Idas e Vinhas

De
modo geral os apresentadores (os próprios proprietários, enólogos e gerentes
das vinícolas) foram muito cordiais. Tivemos o prazer de conversar com alguns
deles, os quais foram muito gentis e atenciosos ao responderem as nossas
perguntas. Destacamos o Cyril Bournet e Alexandra
Marniere Lapostolle
(proprietários da Lapostolle), o Chuck
Wagner
(proprietário e enólogo da Caymus), o Rodrigo
Soto
(enólogo da Neyem), Francisco
Zilleruelo
(diretor comercial da Almaviva), Michel Friou (enólogo da Almaviva), Elio Grasso (proprietário Elio Grasso), Victor Schoenfeld (enólogo da Golan Heights) e Christian Moueix (presidente do Château La Fleur-Pétrus).

Idas e Vinhas
Cyril Bournet e Alexandra Marniere Lapostolle (proprietários da Lapostolle)
Idas e Vinhas
Chuck Wagner (proprietário e enólogo da Caymus)
Idas e Vinhas
Elio Grasso (proprietário Elio Grasso)
Idas e Vinhas
Victor Schoenfeld (enólogo da Golan Heights)
Idas e Vinhas
Christian Moueix (presidente do Château La Fleur-Pétrus)

Confiram outros vinhos que degustamos:
Champagnes e espumantes

Idas e Vinhas
Perrier Jouët, Bollinger, Louis Roederer, L’ermitage, Schramsberg (Estados Unidos) e Ferrari (Itália)
Idas e Vinhas
Dom Pérignon, Charles Heidsieck e Krug
França

Idas e Vinhas

Domaine Faiveley, Domaine Louis Jadot, Château Pichon-Longueville, Château Linch Bages, Château Faugeres, Château Cheval Blanc, Château Montrose e Château Léoville Barton
Idas e Vinhas
Château Margaux, Château Lafite Rothschild, Château La Fleur-Pétrus, Château Gis-Cours, Château Haut Brion, Château Palmer, Ducru Beaucaillou e Château Haut-Bailly
Idas e Vinhas
Château Mouton Rothschild e Château de Beaucastel (este é um vinho inesquecível!)

Idas e Vinhas
Château Suduiraut

Itália

Idas e Vinhas
Mastroberardino, Tenuta delle Terre Nere, Foradori, Gaja, Marchesi de’ Frescobaldi e Ornellaia
Idas e Vinhas
Tenuta di Biserno, Tenuta San Guido, Tenuta di Nozzole, Castello de Fonterutoli, Castello di Ama e Fuligni
Idas e Vinhas
Fontodi e Il Poggione
Idas e Vinhas
Vietti

Estados Unidos

Idas e Vinhas
Belle Glos, Caymus, Paul Hobbs, Robert Mondavi, Diamond Creek, Hess Collection, Opus One e Revana

Austrália

Idas e Vinhas
Greg Norman e Penfolds

Espanha

Idas e Vinhas
Vega Sicilia e Domínio de Atauta

Chile

Idas e Vinhas
Viña Montes e Concha y Toro

Nova Zelândia

Idas e Vinhas
Craggy Range

Hungria

Idas e Vinhas
The Royal Tokaji Wine Co.
Portugal

Idas e Vinhas

Fonseca, Graham’s e Taylor Fladgate

Valeu muito a pena o investimento, e estamos aguardando ansiosos as próximas edições!

Idas e Vinhas

Agenda… Jantar harmonizado com vinhos da Bodega Abadal no bar de tapas iVenga! Ipanema

Idas e Vinhas

O ¡Venga! de Ipanema servirá, no dia 11 de novembro, a partir das 20h, jantar harmonizado com vinhos da Bodega Abadal, eleita melhor vinícola da Catalunha em 2011, pela Associación Catalana de Sommeliers (ACS).

 Idas e Vinhas
O enólogo Joan Ramós Mañé estará presente para conduzir o jantar, que
terá menu fechado composto por seis etapas (R$ 120,00 por pessoa).
A noite
começará com azeitonas recheadas e amêndoas picantes servidas com o vinho
Abadal (Nuat) Pla de Bages 2008.
Em seguida, será servido pão com tomate,
queijo manchego, jamón ibérico Pata Negra, chorizo e chistorra com os vinhos
Abadal Cabernet Franc-Tempranillo 2010 e Abadal Pla de Bages Reserva 2005.
Depois entrará em cena uma receita surpresa chamada ‘Manda huevos’, que tem
ovos como ingrediente principal e será acompanhada pelo Abadal Picapoll Pla de
Bages 2011
.
Na sequência, chegam à mesa as batatas bravas e o falso risoto de
jamón, com o vinho Abadal Cabernet Sauvignon Rosado Pla de Bages 2009, e o
polvo a la Gallega e a bochecha de boi com o Abadal Picapoll Pla de Bages 2011
e o Abadal Selecció Pla de Bages 2006.
Para encerrar, espuma de crema catalana
e chocolate com churros.

Serviço:
¡Venga!
Ipanema
Rua Garcia D’Ávila 147 loja B. Ipanema.
Tel.: 21 2247-0234
Horário de funcionamento: De seg. a qua., das 12h
a 0h. De qui. a sáb, das 12h à 01h. Sáb. Dom., das 12h à 0h.
*Texto e informações fornecidas pela organização do evento.

Agenda… Circuito de Vinhos 2013 – Etapa final Curitiba

Idas e Vinhas

No próximo dia 09
de Novembro a capital paranaense encerra o circuito Encontro de Vinhos 2013.

O
Circuito, comandado por Daniel Perches BetoDuarte, teve até agora uma trajetória de sucesso, expandindo o eixo Rio
– São Paulo para novas plateias. Curitiba recebe pelo segundo ano o evento, que
já passou por Campinas, Ribeirão Preto e Belo Horizonte, cidades com expressiva
comunidade enófila e que vêm despontando como promissores mercados.
Tivemos a
oportunidade de participar em 2013 das etapas do Rio de Janeiro (nessa etapa
participamos da eleição dos Top 5) e São Paulo. Muito bem organizados e com uma
atmosfera bastante informal, certamente terá outra ótima receptividade em
Curitiba.
Em
Curitiba o evento contará com um seleto grupo de cerca de 35 produtores e
importadores, com aproximadamente 200 rótulos para degustação. Além disso, os
participantes poderão adquirir vinhos a preços promocionais.
Confira aqui a lista dos
expositores já confirmados.
Serviço:
Encontro
de Vinhos Curitiba 2013
Data:
09/11 (sábado)
Local:
Hotel Bourbon
Rua
Cândido Lopes, 102
Horário:
das 14h as 22h
Ingressos: R$50,00
antecipado e R$60,00 no local. Associados SBAV, ABS, e estudantes dos cursos de
Sommelier e Enogastronomia têm 50% de desconto (R$30,00) apresentando a
carteirinha.
Confira aqui o site oficial do evento.
Veja como
foram as etapas do Rio de Janeiro e São Paulo.