Aconteceu… Degustação Casa Flora – Château Villemaurine Saint-Emilion Grand Cru Classé – Rio de Janeiro, 11 de Outubro de 2013

Idas e Vinhas

Na última sexta-feira
degustamos 2 vinhos produzidos pelo
Château Villemaurine: O Les Angelots de Villemaurine 2009 Saint-Emilion Grand
Cru e o Château Villemaurine 2009 Saint-Emilion Grand Cru Classé, ambos
importados pela Casa Flora. Os vinhos foram
apresentados por Cynthia Capelaere, Diretora
Comercial da vinícola.

Idas e Vinhas

O
Château Villemaurine data de 1874 e foi
adquirido em 2005 pelo empresário belga Justin
Onclin
. A propriedade possui 7 hectares, sendo 6 de vinhedos Grand Cru
Classé em Saint-Emilion, uma das apelações de maior prestígio no mundo.
Idas e Vinhas

Os
vinhedos têm mais de 30 anos e as castas cultivadas são apenas duas, Merlot
(80%) e Cabernet Franc (20%).
Vamos
aos vinhos?
A
safra 2009 é considerada espetacular em Bordeaux, fato que não deixou de gerar
certa expectativa! 
Idas e Vinhas
Cynthia Capelaere, Diretora Comercial do Château Villemaurine
Por
serem vinhos jovens, foram decantados por duas horas antes de apresentados.
Idas e Vinhas

A
média da produção anual dos dois vinhos gira em torno de 12 mil garrafas do Château Villemaurine e 18 mil para o Les Angelots de Villemaurine.
Château Villemaurine
2009 Grand Cru Classé
Corte
de Merlot 95% e Cabernet Franc 5%. Passa por carvalho novo (80%) durante 18
meses e, segundo o produtor, tem potencial de envelhecimento entre 15 a 20
anos.
No
nariz os aromas são de frutas vermelhas, baunilha, tostado e leve nota de
tabaco. Em boca é encorpado, tem boa acidez e os taninos são bastante presentes
mas não chegam a encomodar. De final longo e agradável.
WS.
88
Les Angelots de
Villemaurine 2009 Grand Cru
Corte
de Merlot 95% e Cabernet Franc 5%. Passa por carvalho novo (50%) durante 18
meses.
Aromas
de frutas vermelhas (ameixa), menta e café. Em boca é estruturado, tem boa
acidez, os taninos são marcantes e o seu final é longo.
Os
dois vinhos são gastronômicos, acompanham muito bem pratos de carnes vermelhas
com molhos mais elaborados.
Um
Bordeaux de 4 anos é considerado bastante jovem. Sempre ouvimos (em cursos,
palestras e por meio da literatura especializada) que vinhos dessa região só
devem ser degustados depois de muitos anos (10, 15, 20…) quando os taninos
estão maduros e o vinho equilibrado. Em certa medida isso não deixa de ser
verdade para alguns grandes vinhos (Château Margaux, Pétrus) que são cobiçados
por colecionadores. No entanto, nos últimos anos os produtores franceses vêm se
modernizando e se adaptando ao novo mercado do vinho: ágil e ávido por
consumir.
Pudemos
comprovar essa mudança de mentalidade, pois temos degustado muitos Bordeaux com
4, 5 anos, já prontos para beber e bastante agradáveis. Foi o caso da degustação
dos vinhos descritos nesse post. Quem ganha é a comunidade enófila!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *