Vinho Marqués de Murrieta Reserva 2007 no Winebar do dia 29 de Agosto de 2013

Idas e Vinhas
O Winebar
de hoje teve como tema o evento World Wine Experience 2013,
promovido pela importadora World Wine
e que
acontece nos dias 9 e 10 de Setembro em São Paulo e dia 11 no Rio de Janeiro.

Idas e Vinhas
Este
ano o evento vem com um formato diferente. Embora a World Wine tenha mais de
2000 rótulos de 120 produtores em seu portfólio, optou por um World Wine
Experience temático: Península Ibérica.
Nesse
duelo ibérico, quem ganha é o público. Serão apenas 16 produtores apresentando
86 rótulos provenientes não apenas das regiões mais conhecidas de Portugal e
Espanha, mas de novas áreas que vêm se destacando no mercado internacional. 
Idas e Vinhas
Gianni Tartari, Daniel Perches e Maitê Marani
O
Winebar foi bastante dinâmico e interessante: foram distribuídos entre os blogs
convidados 15 vinhos do universo de 86 rótulos que serão apresentados no evento.
Maitê Marani e Gianni Tartari (World Wine) e Daniel Perches
apresentaram os vinhos e degustaram dois: o branco livre de sulfito Carm SO2 free 2011
(região do Douro/Portugal) e o tinto Marqués de Murrieta Reserva 2007 (região de
Rioja/Espanha).
Confiram
todos os rótulos do Winebar: 
Idas e Vinhas

Vamos ao vinho? 
A
Bodega Marquésde de Murrieta
tem mais de 160 anos. A vinícola surgiu no ano de 1852 quando Luciano de
Murrieta e García Lemoine elaboraram o que foi considerado o primeiro vinho fino
da região, e também o primeiro Rioja a ser exportado. O sucesso foi tal que a
vinícola alçou voos maiores, adquirindo a Finca Ygay e construindo o castelo de
Ygay. O vinho Castillo Ygay é o ícone da bodega, e só é lançado em anos cujas
safras foram realmente excepcionais.
Hoje
a vinícola possui 300 hectares de vinhedos que estão localizados ao sul de
Rioja Alta onde cultivam 5 variedades tintas (Tempranillo, Garnacha, Mazuelo,
Graciano e Cabernet Sauvignon) e uma branca (Viura).
O
Marqués de Murrieta Reserva 2007 é um corte de 85%
Tempranillo, 8% Garnacha, 6% Mazuelo e 1% Graciano. São quase quatro anos
dedicados à produção do vinho: 20 meses em barricas de carvalho americano e mais
dois anos de afinamento em garrafa antes de ser comercializado. 
Idas e Vinhas

A
sua cor é vermelho rubi com reflexos granada. No nariz os aromas são de ameixas
maduras, cerejas, baunilha e um leve toque herbal. Equilibrado, em boca apresentou
médio corpo, as frutas foram confirmadas, boa acidez, boa textura de taninos e final
longo.
Com
6 anos, consideramos que está pronto, mas com certeza ainda tem muita vida pela
frente.
Notas:
IV:
85
WS:
83
Importado
pela World Wine e custa R$140,00 (em promoção por
R$ 125,90).
Para
informações sobre o World Wine Experience 2013, acessem:

Vejam aqui os post das edições do Winebar que participamos:

Vinhos House of Mandela no Winebar do dia 23 de Julho de 2013

Agenda….12 de Setembro de 2013 – Degustação Idas e Vinhas: Desafiando Bordeaux

Idas e Vinhas



Atenção! Dia 12 de Setembro acontece a próxima degustação Idas e Vinhas! De forma lúdica, os participantes vão degustar vinhos de diferentes países e cortes, e entre eles estará um vinho produzido na emblemática appellation de Margaux, em Bordeaux. A degustação será às cegas, e o desafio é aguçar os sentidos para identificar cores, aromas e sabores, e, quem sabe, identificar o Margaux.

A proposta é simples: encontros temáticos e descontraídos para aprender ou simplesmente conhecer diferentes vinhos. 

O local escolhido também é especial: o belo show room da Casa Flora – RJ. Além dos vinhos, uma fina seleção de frios e delicados azeites completam a experiência. 
Data:12 de Setembro de 2013 (inscrições até o dia 08 de Setembro). 
Informações e inscrições: idasevinhas@gmail.com

As vagas são limitadas e só são confirmadas mediante pagamento.

Confiram todos os detalhes na arte abaixo (clique na imagem para ampliar).

Veja aqui como foram as outras degustações na Casa Flora:
12 de Setembro de 2013: Desafiando Bordeaux
01 de Agosto de 2013: Vinhos da Toscana
20 de Julho de 2013: Faces da Pinot Noir

Aconteceu… Decanter Wine Show 2013 – Rio de Janeiro – 20 de Agosto de 2013

Idas e Vinhas

Ontem foi dia do
evento da importadora Decanter no Rio de Janeiro. Trata-se da edição de 2013 do
sempre esperado Decanter Wine Show (veja aqui
como foi a do ano passado). O local escolhido foi o hotel Othon Palace
Copacabana. A estréia do circuito 2013 aconteceu em Brasília (19/08), depois Rio
de Janeiro (20/08), seguindo para São Paulo (21/08) e encerrando em Belo
Horizonte (22/08).

Ano passado estiveram presentes os produtores do Velho Mundo.
Em 2013 a temática é o Novo Mundo, com a presença de 26 produtores de 8 países: África do Sul, Argentina, Austrália, Brasil, Chile, Estados
Unidos, Nova Zelândia e Uruguai. O número de rótulos disponíveis para
degustação era de aproximadamente 200.
Idas e Vinhas
A organização foi perfeita, não houve fila, bastava se
identificar e logo em seguida você recebia a sua credencial, o caderno de
degustação e a sua taça Strauss. Havia água à vontade e 3 ilhas fartas de
comidinhas variadas entre queijos, pães, pastas, frios e frutas.
Idas e Vinhas

O fluxo de participantes não foi excessivo e caminhar pelo
salão e se aproximar dos stands dos produtores não era uma maratona. Outro
ponto importante é que não faltou vinho, principalmente os tops, e todos
estavam na temperatura adequada.
  
Destacamos a participação da neozelandesa Craggy Range com seus ótimos vinhos e a atenção de Chris Alton, Gerente de
Negócios para as Américas. 
Idas e Vinhas
Ana Cristina Follador (Idas e Vinhas) e Chris Alton (Craggy Range)
Uma vinícola que não conhecíamos e que apresentou excelentes
vinhos é a australiana Fox Creek Wines. Conversamos bastante
com o enólogo sênior da vinícola, Scott Zrna
Idas e Vinhas
Alexandre Follador (Idas e Vinhas) e Scott Zrna (Fox Creek Wines)
A Califórnia foi muito bem representada pela Peter Lehmann. Ótimos vinhos apresentados pelo vice-presidente para as
Américas, Matthew Lane
Idas e Vinhas
Matthew Lane (Peter Lehmann)
Já na América do Sul, também excelentes representantes. Nos
detivemos um pouco mais nos stands da Luigi Bosca (muito bem
representada pelo Gerente para a América Latina, Claudio Mendoza) e da Colomé,
onde conversamos com a Gerente de Mercado para a América Latina, Victoria
Mingo
Idas e Vinhas
Claudio Mendoza (Luigi Bosca)
Abaixo listamos os vinhos que mais gostamos:
África do Sul
Glen Carlou (Paarl)
– Gravel Quarry Cabernet Sauvignon 2008 – R$208,75 
Idas e Vinhas

Raka (Overberg)
– Pinotage 2010 R$96,45 
Idas e Vinhas


Argentina
– Torrontés 2012 – R$52,80
– Colomé Malbec
Estate (Malbec, Petit Verdot, Tannat, Cabernet Sauvignon e Syrah ) 2010 – R$103,40 (veja aqui
o post que fizemos sobre a vinícola)
– Colomé
Reserva 2008 (Malbec e Cabernet Sauvignon) – R$284,65 
Idas e Vinhas

– Gran Malbec 2010 – R$112,60
– Gran Corte 2010 (Malbec, Cabernet Sauvignon e Cabernet
Franc) – R$170,80 
Idas e Vinhas

Família Schoroeder (Patagonia)
– Saurus Select Merlot 2010 – 67,05 (veja aqui
o post que fizemos sobre a vinícola) 
Idas e Vinhas

Las Moras (San Juan)
– Mora Negra 2009 (Malbec e Bonarda) – R$137,50 
Idas e Vinhas

Luigi Bosca (Luján de Cuyo e Maipú)
– Malbec DOC Lujján de Cuyo 2010 – R$102,50
– Icono 2008 – R$472,30 
Idas e Vinhas

Viña Alicia (Luján de Cuyo)
– Brote Negro Malbec 2007 – R$246,85 
Idas e Vinhas


Austrália
Fox Creek (McLaren Valle)
– Short Row
Shiraz 2008 – R$170,80
– Shiraz
Reserve 2005 – R$370,40 
Idas e Vinhas

Kilikanoon
(Clare Valley)
– Riesling
Mort’s Block Watervale 2011 – R$126,20
– Covenant
Shiraz 2009 – R$206,50
– Oracle Shiraz 2008 – R$320,85 
Idas e Vinhas

Peter Lehmann (Barossa Valley)
– Art
Series Classic Riesling 2010 – R$106,25
– Eight
Songs Shiraz 2005 – R$311,20
– Mentor (Cabernet Sauvignon) 2006 – R$311,20
– Stonewell Barossa  Shiraz 2006 – 493,35 
Idas e Vinhas


Brasil
Quinta da Neve (São
Joaquim)
Chardonnay 2011 – R$41,50 
Idas e Vinhas

Vinícola Hermann (Serra Gaúcha e
Serra do Sudester)
Lírica Brut – R$53,15 
Idas e Vinhas


Chile
Viña Caliterra (Colchagua)
– Sauvignon Blanc Tributo 2011 – R$83,80
– Cenit 2007 (Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Petit
Verdot) – R$309,95 
Idas e Vinhas

Terranoble (Maule)
– CA1 Carménere Andes 2010 – R$111,35
– CA2 Carménere Costa 2011 – R$111,35 
Idas e Vinhas


Nova Zelândia
– Glasnevin
Gravels Riesling 2009 – R$145,50
– Pinot Noir Te Muna Road 2009 – R$221,40 (veja aqui
o post que fizemos sobre a vinícola)
– Le Sol
Syrah 2009 – R$430,00
– Sophia 2009
(Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Malbec) – R$305,50
Wild Rock (Hawke’s Bay e Central Otago)
– The
Infamous Goose Sauvignon Blanc 2012 – R$113,85

– Cupids
Arrow Pinot Noir 2008 – R$124,00
Idas e Vinhas
É oferecida aos participantes a possibilidade de reverter o valor do convite em compras acima de R$1.000,00 com a apresentação da credencial do evento. O desconto é válido por 30 dias após o evento (20 de Setembro de 2013 para o Rio de Janeiro) . No Rio de Janeiro a loja Espírito do Vinho representa a Decanter.

Provamos e aprovamos… Caldora Colle dei Venti Montepulciano d’Abruzzo DOC 2009

Idas e Vinhas

Ontem abrimos um
vinho italiano que nos surpreendeu positivamente. Foi o Colle dei Venti Montepulciano d’Abruzzo DOC 2009 da vinícola Caldora
que está localizada na comuna de Ortona da região dos Abruzos, província de
Chieti (região central da Itália).

A
Caldora (vinícola que faz parte do grupo Farnese Vini) surgiu da parceria entre
uma empresa líder de exportação e a Cantina Sociale de Ortona (cooperativa de
produtores), com mais de 1500 hectares de terras cultivadas por cerca de 700
viticultores. Apenas os melhores vinhedos com os melhores clones são
selecionados e a condução das parreiras é feita de forma a limitar a produção
de uvas por hectare, mantendo os melhores frutos nas videiras.
Idas e Vinhas

Vamos ao vinho?
Idas e Vinhas

O
Caldora Colle dei Venti Montepulcianod’Abruzzo DOC 2009 é o rótulo básico da vinícola. 100% Montepulciano. Atenção
enófilos!! Não confundir essa casta tinta com os vinhos da região de Montepulciano
que são feitos predominantemente com a casta Sangiovese, na Toscana.
O
Caldora estagia durante 6 meses em carvalho de segundo uso (70% francês e 30%
americano). Essas condições conferiram elegância e preservaram o caráter
frutado.
De
cor vermelho-púrpura com reflexos violáceos. No nariz apresentou notas de
menta, pimentão, frutos vermelhos maduros, notas leves de caramelo e baunilha, nuances
florais (violetas) e alguma especiaria. Em boca apresentou corpo médio, taninos
macios e boa acidez, equilibrando muito bem com os 13% de álcool. Cuidado: esse
vinho é muito fácil de beber!
Nossa
nota: 88
WS.:
85

Este
vinho apresenta excelente custo benefício. Custa por volta de R$47,00 e é
importado pela Casa Flora.

Aconteceu… Les Vins de France – 08 de Agosto de 2013 no Ráscal Rio Sul

Idas e Vinhas

Quinta
feira passada foi noite de vinhos franceses no restaurante Ráscal do Shopping
Rio Sul. Nosso amigo Mario Trano (MondoVinho)
conduziu a degustação “Les Vins de France”.

O
evento marcou a retomada da parceria entre o Idas e Vinhas e o blog MondoVinho,
e ousamos dizer que tivemos grande êxito. A procura pelas vagas (limitadas a
14) foi grande e a turma estava completa dias antes do prazo limite para
inscrições.
Idas e Vinhas

Recebemos
os convidados com o espumante Charles Vienot Brut Suprême (uma dica de bom custo benefício), até que todos
chegassem e se acomodassem no espaço reservado para a degustação. Logo em
seguida foram trazidas as primeiras comidinhas, ao melhor estilo mediterrâneo.
Idas e Vinhas

A
proposta da noite foi apresentar uma volta à França. Mario fez uma breve explanação
sobre as Denominações de Origem francesas e iniciou a apresentação dos vinhos, que
representaram algumas das principais regiões vinícolas da França.
Idas e Vinhas

Os
vinhos escolhidos foram os seguintes:
Abel Pinchard Chablis
2010 (Bourgogne)
Château Rubine 2012 (Cru Classé) (Provence)
Domaine d’Andezon
2010 (Rhône)
Domaine du Préau
Gevrey-Chambertin 2009 (Bourgogne)
Château
Pedesclaux 2006 (Grand Cru Classé) (Bordeaux)
Idas e Vinhas

Abel Pinchard Chablis
2010 (Chablis/Bourgogne)
Nada
melhor que iniciar com um Chablis, região dos emblemáticos vinhos brancos secos
no extremo norte da Bourgogne (a 100 km de Paris). A Chardonnay é a única uva
permitida, e para obter o frescor e o frutado típicos, usa-se nenhuma (no caso
do vinho apresentado) ou pouca madeira.
Château Rubine 2012 (Cru Classé) (Côtes de
Provence/Provence)
Em
seguida nos dirigimos ao Sul, para a Provence. A proximidade do Mar Mediterrâneo
e os dias ensolarados tornaram a Provença famosa no mundo inteiro por seus
Rosés.
O
vinho da degustação, um Rosé produzido a partir de um blend das uvas Cinsault, Grenache, Cabernet Sauvignon e menores
porcentagens de Carignan, Tibouren, Syrah e Mourvèdre, bastante fresco e
frutado, representou bastante bem a região.
Domaine d’Andezon
2010 (Côtes-du-Rhône/Rhône)
Seguindo
um pouco à Noroeste, alcançamos o Vale do Rhône. Com vinhedos plantados há 2000
anos, o Vale do Rhône é uma das regiões francesas que oferece grande variedade
de sabores em seus vinhos, com toques de especiarias. O primeiro tinto da noite
representou muito bem a região com seu blend
de Syrah (90%) e Grenache (10%).
Domaine du Préau
Gevrey-Chambertin 2009 (Gevrey-Chambertin/Bourgogne)
Impossível
fazer uma degustação sobre a França e não incluir um tinto da Bourgogne. E assim
retornamos à região que produz os vinhos mais sublimes feitos com a Pinot Noir.
A
safra 2009 vem sendo considerada uma grande safra na Bourgogne, e o tinto
escolhido, com passagem em madeira por 15 meses, trouxe sabores frutados e
taninos macios.
Château
Pedesclaux 2006 (Pauillac Grand Cru Classé/Bordeaux)
Seguindo
cerca de 600km para o Oeste, em direção ao Oceano Atlântico (Baía de Biscaia),
nosso passeio terminou na icônica região de Bordeaux. O clássico corte bordalês
(Cabernet Sauvignon-Cabernet Franc-Merlot) é fonte de inspiração para milhares
de produtores de todo o mundo, e em Bordeaux produz vinhos que permanecem vivos
por décadas.
O
excelente Château Pedesclaux 2006 vem da famosa appellation de Pauillac, berço dos célebres Château Latour e
Lafite-Rothschild.
O
vinho degustado trouxe estrutura, aromas complexos (com notas de frutas negras
maduras e especiarias) e equilíbrio. Um vinho de safra ainda jovem para os
padrões de Bordeaux, que certamente evoluirá brilhantemente com mais alguns
anos em garrafa.

Fiquem
atentos aos nossos blogs e Facebook para acompanhar a nossa programação.

Aconteceu… 01 de Agosto de 2013, foi dia de degustação Idas e Vinhas

Idas e Vinhas

O segundo encontro da
nossa parceria com a Casa Flora (veja aqui
como foi o primeiro) teve como inspiração a Itália, país de origem da família
do Alexandre. Terra do Chianti, Barolo, Barbaresco, a Itália é fonte quase
inesgotável de temas para degustação. Assim decidimos desvendá-la aos poucos, e
iniciamos com uma de suas regiões mais famosas: a Toscana.

Idas e Vinhas

Idas e Vinhas
A
Sangiovese é a casta que reina quase absoluta na Toscana, região central da
Itália. A incrível diversidade de microclimas (resultado de um território
formado por 75% de montanhas e da proximidade com o Mar Mediterrâneo) e a
paixão histórica pelo cultivo de vinhas faz da Itália um dos países com maior
variedade de uvas nativas (Nebbiolo, Montepulciano, Trebbiano, Malvasia…) e
onde a Sangiovese e seus clones (Morellino, Prugnolo, Sangioveto, Brunello…) encontraram
o perfeito terroir.
Mas
nem só de uvas nativas são feitos os intrigantes e complexos vinhos italianos.
Os rebeldes Supertoscanos são a prova de que modernidade e tradição não são
incompatíveis, e trouxeram para a felicidade dos enófilos jóias como Sassicaia
e Solaia.
Para
essa degustação, selecionamos 5 vinhos que consideramos ser um interessante
painel da Toscana. Foram 3 vinhos que seguem a classificação tradicional das
DOCG e 2 Supertoscanos.
Idas e Vinhas
Foi
uma noite muito agradável. Recebemos os participantes com espumante, frios
deliciosos, pão e azeites finos (entre eles o excelente italiano Paganin Il Grezzo).
Idas e Vinhas

A
participação da turma foi grande. Todos bastante descontraídos, trocando suas
impressões sobre os vinhos. Seja um iniciante ou iniciado, não há distinção em
nossos encontros. Valorizamos o ambiente informal onde todos se sentem à
vontade para se expressar. 
Idas e Vinhas

Após
servir o 3º vinho, hora de intervalo: uma deliciosa massa ao pomodoro foi o
acompanhamento perfeito nessa noite italiana. 
Idas e Vinhas
A
ordem de apresentação dos vinhos se mostrou acertada. Embora todos tenham excelente
estrutura e equilíbrio, a opção em servir do mais jovem ao mais antigo foi uma
forma de perceber como os vinhos de guarda evoluem em garrafa. O Brunello de Montalcino
Camigliano
encerrou a sequência com distinção, sendo eleito um dos melhores da
noite.
Idas e Vinhas

Vejam aqui como foram as outras degustações na Casa Flora:

Desafiando Bordeaux – 12/09/2013
Faces da Pinot Noir – 20/07/2013

Agenda… Vinhos do Alentejo – Brasil 2013

Idas e Vinhas



Vem ai mais um bom evento de vinhos no Brasil. Estamos falando do “Vinhos do Alentejo – Brasil 2013” que acontecerá em duas datas:

São Paulo – 03/09/2013
Caesar Park São Paulo Faria Lima Hotel

Rio de Janeiro – 05/09/2013
Hotel Windsor Atlântica – Copacabana

É uma ótima oportunidade para os enófilos conhecerem novos rótulos dessa importante região produtora de vinhos de Portugal.

As inscrições são gratuitas!!!


Basta enviar e-mail para inscricoes@vinhosdoalentejo.pt

Confiram as informações na arte promocional oficial do evento.

Idas e Vinhas