Malbec World Day – Saurus Malbec Barrel Fermented 2008

Idas e Vinhas
O Saurus Malbec Barrel Fermented 2008 é um dos três vinhos que degustamos em comemoração ao Malbec World Day.

Idas e Vinhas

O
Saurus é um dos vinhos produzidos pela Bodega Familia Schroeder, em uma das mais
novas zonas vinícolas da Argentina: a Patagônia.
Idas e Vinhas

Muita
insolação, água de excelente qualidade oriunda do degelo das montanhas e solos
pedregosos são os fatores que distinguem essa nova região e fornecem op
otencial de produzir vinhos de alta qualidade.
A
linha Saurus tem esse nome em função de uma curiosidade sobre o local onde a
bodega está instalada: foram descobertas partes do fóssil de um dos maiores
dinossauros conhecidos, o Titanosauro (inspirador do Godzilla!). Essa relíquia
mereceu a construção de uma cave especial aberta a visitação do público.
Vamos
ao vinho?

Idas e Vinhas
Saurus Malbec Barrel Fermented 2008
100% Malbec. Passagem
de 8 meses em barricas novas de carvalho americano (70%) e francês (30%).
Curiosidade: a tosta das barricas é fruto de projetos exclusivos das tanoarias
para a vinícola.
Cor
rubi escuro com reflexos violáceos. No nariz, boa variedade de aromas,
destacando-se caramelo e baunilha, violetas, frutas vermelhas e ameixas. Na
boca é adocicado, os taninos elegantes, bom corpo e boa acidez. Um vinho
equilibrado, de final longo e agradável.
Um
distinto exemplar de Malbec. Mas cuidado: muito fácil de beber!
Nossa
nota: 88

Malbec World Day – Colomé Estate Malbec 2009

Idas e Vinhas

O
Colomé Estate Malbec 2009 completou
a trilogia de vinhos que degustamos na comemoração do Malbec World Day.
 

Idas e Vinhas

A
Bodega Colomé é considerada a mais
antiga da Argentina. Ela data do ano de 1831 e os seus vinhedos estão
localizados em altitudes ente 2300 e 3111 metros de altura (provavelmente os
mais altos do mundo), na região dos Vales Calchaquis em Salta.
Em
2001 a vinícola foi comprada pelo casal de bilionários suíços Donald e Úrsula Hess, que também possuem vinícolas no Napa Valley (adquirida
em 1978),em 1980 adquiriram 50% dos negócios da conceituada Glen Carlou na
Africa do Sul.
Os
vinhedos da Colomé são centenários, e foram plantados em porta enxertos
franceses. A propriedade possui quase 157 mil hectares e as videiras são
cultivadas em apenas 140 hectares.
São
divididos em 4 estâncias: Finca Altura
Máxima
(3111m de altitude), Finca El
Arenal
(2600 m de altiude), Finca
Colomé
(2200m de altitude) e Finca
La Brava
(1750m de altitude).
As
cepas são de Malbec, Pinot Noir, Merlot, Syrah, Torrontés, Tannat, Cabernet
Sauvignon, Petit Verdot, Bonarda, Sauvignon Blanc e Chardonnay.
A
condução dos vinhedos é feita de forma orgânica e biodinâmica. A colheita é 100%
manual, utilizam apenas leveduras indígenas e a produção das parreiras é direcionada
para baixo rendimento.
Thibaut Delmotte é o
enólogo da vinícola desde 2005. Ele é francês formado na Borgonha, com ampla
experiência em vinhos bordaleses.
Vamos ao vinho?

Idas e Vinhas

O
Colomé Estate é o vinho que deu mais prestígio à vinícola. Já esteve presente
na lista dos Top 100 Of The Year da revista americana Wine Spectator. Em 2010 a
safra 2008 ocupou a colocação de nº 66 com 91 pontos e em 2009 a safra de 2007
chegou à colocação de nº 32 com 92 pontos.
Malbec
85%, Petit Verdot 15%, Tannat, Cabernet Sauvignon e Syrah.
15
meses em carvalho francês sendo 20% de primeiro uso e 80% de segundo uso.
Cor
rubi escuro com reflexos violáceos. No nariz, o blend conferiu uma interessante
variedade de aromas, destacando-se cerejas, framboesas, caramelo, e frutas
escuras maduras. Notamos também um certo aroma de evolução (pelica), além de
notas de tabaco e baunilha dadas pela madeira. Na boca é adocicado, encorpado,
e os taninos estão em harmonia com a boa acidez. De final longo e agradável.
Vinho
bastante elegante e muito agradável. Merece os prêmios que recebeu!
Nossa
nota 89. (WS 90).

Malbec World Day – Mendel Malbec 2009

Idas e Vinhas

O
Mendel Malbec 2009 é um dos três vinhos que degustamos como parte das
atividades do Malbec World Day.
 

Idas e Vinhas
A
bodega Mendel é
bastante jovem, surgiu em 2002 e a sua primeira colheita foi em 2004. É uma
bodega que desenvolve seus vinhos de forma artesanal e conta com o talento do
respeitado e experiente enólogo Roberto
de La Mota
. Roberto estudou enologia na “École Nationale Supérieure Agronomique” em Montpellier e recebeu o
diploma “National d’oenologue de France”
em 1989.
A
ideia da bodega é ter poucos rótulos, pequena produção e oferecer vinhos de
alta qualidade. A produção anual gira em torno de 10 a 12 mil caixas. Os seus
vinhedos mais antigos são os de Malbec que datam do ano de 1928 e são pés
francos, localizados em Lujan de Cuyo.
A
Mendel produz 4 rótulos: Mendel Finca Remota, Mendel Unus, Mendel Malbec e
Mendel Semillon.
Vamos
ao vinho?

Idas e Vinhas
100%
Malbec. 14,3% de álcool. 12 meses em carvalho francês novo. 5000 caixas
produzidas.
Cor
rubi muito escuro com reflexos violáceos. No nariz aparecem os aromas de
ameixas, cerejas e pimenta do reino. Baunilha e coco queimado. Em boca, bom
corpo, e a acidez dá uma sensação de frescor. Os taninos estão bastante
presentes mas não incomodam, as frutas vermelhas são confirmadas e o seu final
é de média persistência.
Um
bom exemplar de Malbec, vale a pena experimentar.
Nossa
nota:86 (WS 87)

Malbec World Day 2013

#malbecworldday

Hoje
foi dada a largada às diversas atividades em comemoração ao Malbec World Day.

Acabou
de acontecer o primeiro Winebar ao
vivo, sob o comando de Daniel Perches.
Foi muito interessante acompanhar o bate papo descontraído e instrutivo.
#malbecwineday

Os
vinhos degustados foram:
Sottano Malbec Reserva de
Familia
Lagarde Primeras Viñas
Andeluna Altitud
Fomos um dos blogs
selecionados para avaliar os do segundo Winebar que acontecerá no dia 17 de
Abril
Os
vinhos escalados são: 

#malbecworldday
Para
acompanhar, é só se conectar pelo Facebook (https://www.facebook.com/winebarlive)
ou direto no endereço http://www.winebar.com.br/.

Além
disso, quem se cadastrar no Facebook concorre a kits especiais.

A
expectativa é grande! Confira a agenda completa:
11/04
Desafio ao Vinho
especial Malbec World Day
Horário: 12h as 13h
Tema: Malbec combina
com tudo?
Vinhos: Don, Sottano,
Lagarde Primeras Viñas
17/10
Transmissão ao Vivo
Winebar
Horário: 21h
Tema: Diversidade do
Malbec
18/04
Desafio ao Vinho
especial Malbec World Day
Horário: 12h as 13h
Tema: Malbec é tudo
igual?
Vinhos:

Agenda: Vem ai o Malbec World Day 2013

#malbecworldday

A Malbec é sem dúvida a
casta emblemática da Argentina. Os vinhos potentes, de característica cor
violeta e intensos aromas de ameixas e frutas vermelhas foram os responsáveis pelo
reconhecimento da Argentina como produtor de destaque mundial.
 

Para
celebrar esse sucesso, dia 17 de Abril acontece a terceira edição do Dia Mundial do Malbec, promovida pela Wines of Argentina.
Serão
realizados uma série de ações em circuito mundial, passando por Nova Youk, São
Paulo, Londres, Xangai e Mendoz.
No
Brasil, entre os dias 10 e 18 de Abril, estão programadas diversas ações em
comemoração ao Malbec World Day. Serão transmissões ao vivo, programas de webtv, missões
no Instagram, além de mídia nos canais especializados. Também haverá a participação
de blogueiros na avaliação dos vinhos.
Confira a agenda:
10/04 Transmissão ao Vivo
Winebar
Horário: 21h
Tema: Diversidade de
Mendoza Malbec
Vinhos: Sottano
Malbec Reserva de Familia, Lagarde Primeras Viñas e Andeluna Altitud.
11/04 Desafio ao Vinho
Horário: 12h as
13h
Tema: Malbec combina
com tudo?
Vinhos: Don, Sottano,
Lagarde Primeras Viñas
17/10 Transmissão ao Vivo
Winebar
Horário: 21h
Tema: Diversidade do
Malbec
18/04 Desafio ao Vinho
Horário: 12h as 13h
Tema: Malbec é tudo
igual?
Todas
as informações estão disponíveis no site http://www.malbecworldday.com.br 
Vejam que bacana o vídeo promocional da campanha:

Kuentz-Bas Auxerrois 2010 – Vinho branco da Alsácia


Idas e Vinhas
Passeando pelos stands do Festival
Françah! Culture et Gastronomie que aconteceu em Março no Shopping Leblon, nos chamou a atenção um stand
com as charmosas garrafas de vinho da Alsácia. 

Idas e Vinhas
O
formato alongado e fino da garrafa é característico dessa região francesa muito
próxima da fronteira com a Alemanha e famosa por seus vinhos brancos aromáticos
feitos de uvas não muito convencionais. Outra particularidade é que os rótulos
trazem o nome da uva em destaque, contrariando a tradição francesa de indicar
apenas o produtor.
Após
alguns minutos de simpática e animada conversa com pessoal do stand (da
importadora Alafia,
especializada em vinhos orgânicos e biodinâmicos de produção limitada), fomos
apresentados ao Jeremy Bas, cuja família produz o vinho que compramos. Além do
entusiasmo do Jeremy ao me explicar as características dos vinhos da família,
fiquei intrigada com a uva Auxerrois, que não conhecíamos.
Jeremy representa a oitava geração de uma família
(Kuentz-Bas) que se dedica à produção de vinhos desde 1795. A propriedade se localiza na cidade de
Husseren Les Châteaux , na região mais alta de toda a rota do vinho da Alsácia e a 8km de Colmar.
Essa altitude e as características do solo (argiloso e calcáreo) conferem ao
vinho mineralidade e uma acidez bastante viva. Grande parte da propriedade está
localizada em dois vinhedos gran cru
– Eichberg e Pfersigberg.

Idas e Vinhas

Interessante
é que o Jeremy é super simples, e depois descobrimos que a Kuentz-Bas é um
produtor super tradicional e conceituado, citado em guias especializados e
sites como a Wine Spectator!
Vamos ao vinho?
A Trois Chateux é a linha de vinhos biodinâmicos da
Kuentz-Bas, feitos exclusivamente de uvas plantadas em vinhedos próprios
seguindo os princípios da Biodinâmica desde 2004. São certificados desde 2007
pela Agência Francesa de Desenvolvimento e Promoção da Agricultura Biológica (AB – Agriculture Biologique) e desde 2008 pela Demeter.
A Auxerrois é muitas vezes citada como sendo a Pinot
Blanc. No entanto, são muito diferentes. A Auxerrois é bastante aromática, com
notas de especiarias, enquanto a Pinot Blanc é conhecida como sendo pouco
aromática.
A maneira de vinificar o Auxerrois Alsace Trois
Chateaux é muito interessante, totalmente natural: as uvas são delicadamente
prensadas por 8 a 16 horas, para extrair os mais finos aromas. O mosto é então
decantado e depois transferido para os tanques de fermentação. A fermentação é
natural, sem adição de leveduras comerciais, e se desenvolve por 6 a 8 meses.
Ao cessar a fermentação, os vinhos são estabilizados em suas próprias borras e
depois filtrados e engarrafados.
Notas de degustação:
De bela cor amarelo-palha com reflexos dourados. No
nariz, é franco, amplo e fragrante. Percebemos notas de flores brancas (jasmim
e flor de laranjeira), pêssegos, funcho, mel, sal e uma mineralidade bastante
presente. Em boca é bastente fresco, com médio corpo, acidez e álcool bastante
equilibrados. Final longo e muito agradável. Ótima surpresa!

Nossa nota: 89. Nota WS: 88. Um vinho muito bom, de
qualidades especiais.


Idas e Vinhas

Instruções para o sorteio do DON ABEL Rota 324:2005 – aniversário do Idas e Vinhas!

Ainda dá tempo de participar
do sorteio do DON ABEL ROTA 324:2005 em comemoração ao Ano I do nosso blog!




Como participar?
·        
Basta enviar um email para idasevinhas@gmail.com, até
à meia-noite do dia 31 de Abril de 2013
, com as seguintes informações:
·   Nome:
·   E-mail
para contato:
·   Resposta à pergunta: Qual o post do
“Idas e Vinhas” que você mais gostou, e por quê?
Atenção: podem
participar apenas seguidores do blog ou curtidores da nossa página no Facebook,
com endereço de entrega no Brasil. Confira todos os detalhes do sorteio aqui.

Aconteceu…: Degustação Rutini Wines na ABS-RJ em 25/03/2013

Idas e Vinhas
A
história da Rutini Wines remonta ao
início do século XIX quando Don Francisco Rutini elaborava vinhos artesanais e os
comercializava em seu povoado natal, Ascoli Piceno, Le Marche, na Itália.
 

Em
1885, Felipe Rutini (único filho de
Don Francisco) se formou em enologia e imigrou para a América dando
continuidade à tradição vitivinícola da família. Neste ano Felipe plantou as
suas primeira videiras em Coquimbo, departamento de Maipú em Mendoza. Ao final
de 1885 iniciou a construção da bodega La Rural que foi totalmente reformada na
década de 90 conservando a sua arquitetura original do século XIX.
Em
1919 Felipe falece e a continuidade do desenvolvimento da vinícola fica sob
responsabilidade dos seus descendentes.
Em
1925 a família Rutini plantou o seu primeiro vinhedo em Tupungato, que é um
município do Valle de Uco, se tornando os pioneiros nesta zona. As altitudes
vão de 860 a 1.300 metros.
O
Valle de Uco é a zona mais fria de Mendoza, com invernos rigorosos e verões
quentes, dias temperados e noites muito frias. Com 8 mil hectares de vinhas, é
hoje a região mais importante para novos investimentos. Produz bons tintos e
brancos com ótima acidez, considerados pela crítica os melhores do país.
Idas e Vinhas

Hoje
a Rutini possui 225 hectares de vinhedos em cinco diferentes áreas de Mendoza:
Maipú, Rivadavia, La Consulta, Altamira e Tupungato.
O
enólogo da casa é  Mariano di Paola, que está na bodega desde 1995, é considerado por muitos
um dos top winemakers da Argentina. Mariano
aprecia as características dos vinhos bordaleses, e isso faz com que seus
vinhos tenham esse estilo, sejam delicados e elegantes, com boa fruta e sem
excesso de madeira. Essas características ficaram bastante evidentes na
degustação. Quando se pensa em vinhos argentinos, esperamos encontrar vinhos
bastante encorpados e muito alcóolicos, um pouco carentes de equilíbrio. A boa
surpresa da Rutini é que os tintos possuem cerca de 13% de álcool. Ponto para a
elegância e o equilíbrio!
Em
1994 Nicolás Catena passou a ser um dos investidores da Rutini o que ajudou a
equipar e modernizar a bodega. 
Idas e Vinhas
Foto de Jorge Cano
Hoje
a bodega produz 2 milhões de caixas e 30% são exportadas para mais de 40 países
sendo EUA, China e Brasil os maiores mercados.
A
degustação foi conduzida por Sol Asensio,
que é a gerente de comércio exterior da vinícola.
Os
vinhos que degustamos foram os seguintes:
Trumpeter Chardonnay 2011
Rutini Sauvignon Blanc 2011
Trumpeter Malbec/Syrah 2010
Rutini Cabernet Sauvignon/Malbec
2009
Rutini Malbec 2009
Rutini Apartado 2006
Idas e Vinhas

A
linha Trumpeter é de vinhos para o dia a dia, são simples, fáceis de beber e
ainda muito bem elaborados. Segundo diz a lenda, o nome Trumpeter foi dado ao
vinho devido ao pássaro de mesmo nome ser o agente polinizador das videiras.

os vinhos da linha Rutini são para o público de paladar mais exigente pois já apresentam
um pouco mais de complexidade e elegância. O Rutini Apartado é da linha super
premium e o Ícone é o Felipe Rutini.
Vamos a eles?
Trumpeter Chardonnay 2011
100%
Chardonnay, passando 7 meses em carvalho francês.
Aromas
de frutas brancas, melão, maçã verde e pêra, alguma especiaria, vegetal e bem
mineral. É um branco de corpo leve para médio, com boa acidez e frescor.
R$59,00
Rutini Sauvignon Blanc 2011
100%
Sauvignon Blanc. 25% do mosto é fermentado em carvalho francês novo para dar
mais volume e proporcionar final mais longo.
Aromas
de frutos cítricos, grama molhada, lima, meio adocicado, leve nota de gengibre e
avelã. Muito bem equilibrado, refrescante e persistente no nariz e em boca.
R$65,00
Trumpeter Malbec/Syrah 2010
50%
Malbec e 50% Syrah. Passa por carvalho americano e francês de 2º e 3º uso por 7
a 9 meses. 13,5% de álcool.
Fresco
no nariz, nortas de hortelã, pimentão, tostado e especiarias, além das frutas
vermelhas. Boa acidez, com taninos maduros e macios. Vinho simples mas com bom
acabamento.
R$53,00
Rutini Cabernet
Sauvignon/Malbec 2009
50%Cabernet
Sauvignon e 50% Malbec. A Cabernet deu a estrutura e o corpo e a Malbec as
frutas maduras e os taninos leves. 13%
de álcool
.
Aromas
de terra molhada, couro, anis, café e ameixas maduras. Em boca é levemente
adocicado, com boa acidez, taninos leves e corpo médio para encorpado.
R$75,00
Rutini Malbec 2009
100%
Malbec. 50% das uvas são provenientes de Tupungato e os outros 50% de La
Consulta. Estagia durante 15 meses em carvalho francês (80%) e americano (20%) de
1º uso. 12,8% de álcool.
De
cor rubi muito bonita. Apresentou notas mentoladas, amoras e framboesa, floral,
alguma especiaria picante e uma leve mineralidade. Encorpado, com boa acidez,
taninos aveludados e com final longo.
R$113,00
Rutini Apartado 2006
50%
Cabernet Sauvignon, 30% Malbec e 20% Syrah. 18 meses em carvalho francês novo
(50%) e 50% de 2º uso. 13,5% de álcool.
De
cor granada.
Aromas
adocicados de frutas vermelhas maduras, ameixa, fumo e especiarias. Apresentou
aromas terciários de couro e pele de salame. É encorpado, com taninos sedosos,
boa acidez e de final médio para longo.
R$232,00
Idas e Vinhas
Os
vinhos da Rutini são importados pela Zahil.

Agenda: Gambero Rosso Top Italian Wines Road Show 2013

Idas e Vinhas

A
6ª edição do Top Italian Wines Road Show 2013 tem seu grand finale aqui no Brasil, reconhecendo a importância do nosso mercado
consumidor (em 08 anos as importações de vinho cresceram impressionantes 180%!).
Somos o único país sul-americano a receber o evento desse ano, sendo Rio e São
Paulo as duas cidades escolhidas pela prestigiada Gambero Rosso (uma das mais
conceituadas empresas de treinamento e mídia dedicadas ao vinho e à gastronomia
e editora da revista Tre bicchieri).
 

Idas e Vinhas
Atentos
aos mercados emergentes, cerca de 60 dentre as principais vinícolas italianas
apresentarão mais de 200 rótulos de seus melhores vinhos.
Idas
e Vinhas
estará presente em São Paulo. Não deixem de acompanhar o blog pois
faremos uma cobertura completa.
Confira
o serviço:
Rio de Janeiro 18 de Abril
de 2013
Windsor
Atlântica Hotel
Av.
Atlântica, 1020 – Copacabana
São Paulo 22 de Abril de
2013
Hotel
Unique
Avenida
Brigadeiro Luis Antonio, 4700
Jardim Paulista
Contatos
e informações: 
Telefone: +55 (11) 5092-3248
contato@cristinaneves.com.br
www.cristinaneves.com.br
Os
expositores:

Idas e Vinhas

Provamos e aprovamos: Condado de Haza 2007 – Ribera del Duero

Idas e Vinhas

A
Ribera del Duero e a Rioja são as duas regiões espanholas que concorrem entre
si na elaboração dos melhores tintos com a casta Tempranillo. Em 1982 a Ribeira
del Duero recebeu a classificação de Denominción de Origem (DO), porém já
produzia grandes vinhos bem antes disso. Basta citarmos os da Vega Sicilia,
desde os anos 1860, e os do grupo Pesquera,
ao final da década de 1970.
O
Condado de Haza é uma das quatro vinícolas que fazem parte do grupo Pesquera,
do visionário produtor e enólogo Alejandro
Fernandez
. Segundo especialistas, os seus vinhos estão entre os melhores do
mundo e usualmente recebem altas notas dos críticos especializados.
A
garrafa que compramos foi para ser degustada no recente encontro da confraria
Gran Reserva. Desta vez resolvemos fazer a degustação às cegas e para a nossa satisfação
o Condado de Haza ficou em 2º lugar entre os 12 excelentes vinhos!
Idas e Vinhas
Vamos
ao vinho?
O Condado de Haza 2007 é
100% Tempranillo. Descansa durante 18 meses em barricas de carvalho americano e
6 meses em garrafa antes de ser comercializado.
De
cor rubi carregada e brilhante. Os aromas são intensos, notas de tabaco, frutos
vermelhos maduros e uma leve baunilha. Em boca é cheio, adocicado e elegante.
Os taninos são finos e a acidez é perfeita.
É
um vinho gastronômico. Acompanha bem pratos a base de carne de cordeiro com
molhos encorpados.
Idas e Vinhas

Esta
safra recebeu 88 pontos na WS, o que significa um vinho muito bom, com
qualidades especiais.
Mistral
– R$130,00.