Idas e Vinhas na estrada – Roteiro completo da Volta ao Chile

Amanhã retornamos ao Brasil, depois de 9 dias no
Chile, 6 deles dedicados a conhecer um número tal de vinícolas que fosse uma
amostra representativa de toda a diversidade de terroirs, técnicas de
vinificação e filosofias por trás daquilo que nós conhecemos por “vinho chileno”.

E foi uma experiência intensa e emocionante. A ideia
que se tinha há alguns anos no Brasil sobre um único tipo de vinho chileno,
tinto encorpado, alcoólico e amadeirado, se transformou em um matiz de cores,
aromas e sensações tão diversas quanto seus belos vales vitícolas.
Para empreender essa maratona, selecionamos há alguns
meses as vinícolas que gostaríamos de visitar. Partimos do princípio de que
deveriam ser dos principais vales produtores, e a lista deveria incluir não
apenas vinícolas grandes e conhecidas no mercado brasileiro como também as
chamadas vinícolas boutique e vinícolas familiares, que se destacam na produção
de vinhos de linha ultrapremium ainda pouco conhecidos no Brasil. Também
selecionamos vinícolas que praticam a viticultura orgânica e biodinâmica, e um
dos acontecimentos mais emocionantes dessa aventura foi sermos recebidos pelo
próprio Alvaro Spinosa (o grande nome da vitivinicultura orgânica e biodinâmica
da atualidade) e sua esposa Marina em sua vinícola de garagem, onde produzem o
espetacular Antiyal (Filhos do Sol).
Bem, após a seleção das vinícolas, contatamos a Santiago Adventures, empresa de turismo chilena que vem se destacando no campo do
enoturismo para que preparassem o roteiro. Sabíamos que muitas dessas vinícolas
nem sempre recebem visitantes, e queríamos ser recebidos por pessoal de maior
conhecimento, e não os guias que recebem os turistas de grupo. Após intensa
troca de emails, aprovamos o roteiro, cuidadosamente preparado para que
tivéssemos as melhores degustações e o melhor pessoal encarregado de nos
recepcionar em cada visita. Também incluíram almoços harmonizados e um pernoite
na vinícola boutique VIK (um dos locais mais lindos que tivemos o privilégio de
conhecer).
O guia que nos foi destinado, Manuel Garcia, não
poderia ter sido melhor escolha. Além da educação e cuidado conosco durante
toda a semana, demonstrou profundo conhecimento da cultura vinícola chilena, tendo
já degustado centenas de vinhos e com um senso crítico excelente. Mais que um
guia, um amigo que fizemos nessa empreitada.
Voltando ao roteiro, percorremos os vales Aconcágua,
San Antonio, Cachapoal, Colchagua (subdivisão do Vale Rapel), Maipo e
Casablanca. Não fomos tão ao Norte (Limari) nem tão ao Sul (Malleco e Bio Bio)
uma vez que as vinícolas que visitamos possuíam muitas delas vinhedos nessas
regiões, e vinificam as uvas nas bodegas dos vales onde estão situadas.
Iremos, aos poucos, publicando posts específicos para
cada vinícola, mas por hora fiquemos com o roteiro percorrido, para inspirar
quem quiser ir se preparando!

Dia 01 – Vale do Aconcagua
1. Viña Von Siebenthal (conhecida por produzir um dos
vinhos mais caros do Chile, o Tatay de Crístobal) 
2.  Viña Errázuriz, Seña e Chadwick (onde desfrutamos de
um excelente almoço harmonizado, com direito ao ícone Don Maximiano, seguido de
uma degustação premium com os vinhos Max Reserva e os ícones Seña – rótulo de
Eduardo Chadwick – e La Cumbre). A Errazuriz na verdade é uma visita que vale
por três, já que os ícones Don Maximiano, La Cumbre, Seña e Chadwick são
vinificados na mesma bodega construída na propriedade Errázuriz. Assim podería-se dizer que completamos 20 vinícolas.
Dia 02 – Vale de San Antonio
3. Casa Marin (onde desfrutamos de um almoço com um dos
membros da família Marin, preparado com ingredientes locais e servido em uma
das casas da propriedade)
4.    Viña Matetic
Dia 03 – Vale Cachapoal
5.    Viña Altair 
6.    Santa Helena (que possui uma linha ultrapremium
excelente e de ótimos preços) 
7.    Casa Silva (onde almoçamos) 
8.    VIK
Dia 04 – Vale do Colchagua

9.    Viña Montes 
10. Casa Lapostolle (onde almoçamos no belo restaurante,
em meio aos vinhedos) 
11. Neyen
Dia 05 – Vale do Maipo

13. Almaviva 
14. Antiyal
Dia 06 – Vale de Casablanca

15. Veramonte 
16. Loma Larga 

Acompanhe a nossa maratona abaixo:

Idas e Vinhas na estrada: Volta ao Chile em 18 vinícolas!

Cinco anos depois, nos rendemos aos encantos do Chile
novamente!

É inquestionável que o vinho chileno está em alta. Em
2012 o Chile foi capa e assunto de mais de uma edição da Revista Adega, foi
destaque em pelo menos duas edições da Revista Viagem pela qualidade do seu
enoturismo e em outras tantas na Wine Spectator.

Além de ser o país que mais exporta vinhos para o
Brasil, o Chile vem apostando cada vez mais em rótulos premium e superpremium. Em
2012 nós aqui do Idas e Vinhas degustamos excelentes exemplares, e promovemos
degustações em que os chilenos se destacaram (Koyle, Emiliana Coyam, Matetic…..).
Bem, estamos diante de uma verdadeira maratona
enogastronômica: em 6 dias visitaremos 18 (mas se contarmos Seña e Chadwick, que são parte do grupo Errazuriz e não oferecem visitas, chegaremos a 20) das melhores vinícolas chilenas.
Faremos as degustações premium, além de almoços harmonizados.
Com um universo tão grande de regiões produtoras,
fizemos um roteiro que achamos que seria o mais representativo das melhores
vinícolas do país, tanto gigantes como a Errazuriz quanto boutiques exclusivas
como a Vik.
Segue um breve relato do início da viagem. Quando voltarmos
ao Rio prepararemos posts completos, com todas as dicas, erros e acertos dessa
aventura.
Chegamos ontem, 09 de dezembro, e hoje às 9h estávamos
aguardando ansiosamente nosso guia.
Já podemos dizer que se os demais dias forem iguais a
hoje, teremos concretizado um sonho de muitos enófilos!
Iniciamos com uma visita à Viña Von Siebenthal, onde fomos
muito bem recebidos e degustamos dois dos melhores vinhos (Toknar e Montelig) dessa
vinícola que é considerada a “mais francesa” do Chile.
Vinhos Von Siebenthal
Vinhos Von Siebenthal
Depois seguimos para a Errazuriz, a poucos metros da
Siebenthal. O local é deslumbrante, e o almoço harmonizado foi digno de pelo
menos uma estrela Michelin. O ícone Don Maximiano foi a grande surpresa para
acompanhar o prato principal. Depois do almoço, um breve passeio pelas
instalações e mais vinhos para degustar: a linha Max Reserva e os ícones Seña e
La Cumbre.
Vinhos Errazuriz
Vinhos Errazuriz
Agora, de volta ao hotel, vamos descansar e nos
preparar para as visitas de manhã, Casa Marin (onde almoçaremos) e Matetic.
Acompanhe a nossa maratona abaixo: