Aconteceu…Degustação de vinhos portugueses do Dão

Vinhos do DãoSexta-feira passada
(23/11/2012) participei de uma degustação de vinhos da região portuguesa do Dão
destinada a profissionais e promovida pela Revista de Vinhos de Portugal e ABS
Rio.
A breve apresentação
sobre as características da região ficou por conta do diretor da ABS Rio
Euclides Penedo Borges e o responsável por apresentar os vinhos foi o diretor
da Revista de Vinhos de Portugal, Luis Lopes.
 

Foram
apresentados 12 vinhos, sendo 3 brancos 100% da casta Encruzado, um rosé 100%
Touriga Nacional e 8, tintos sendo 4 deles 100% Touriga Nacional e os outros
feitos com cortes de outras castas.
A
famosa região vinícola do Dão foi demarcada em 1908. Concorre com o Douro na
elaboração dos melhores tintos do Norte do país. Situa-se na província de Beira
Alta. Várias serras protegem-na dos ventos marítimos e continentais, dentre as
quais sobressai a Serra da Estrela. O clima tem influências atlânticas. Os
solos são graníticos e acidentados. As videiras situam-se predominantemente em
altitudes que vão dos 400 aos 700 metros.

As
melhores castas e as únicas permitidas nos vinhos da categoria nobre são as
tintas Touriga Nacional, Tinta Roriz, Alfrocheiro, Jaen e Rufete. As brancas
equivalentes são a Encruzado, Bical, Malvasia Fina, Cercial e Gouveio (ou
Verdelho).
A
grande maioria da produção destina-se aos tintos, que são mais conceituados que
os brancos,  e apresentam tipicamente cor
rubi, são elegantes, aveludados, complexos e muito longevos. Já os brancos são
de cor amarelo palha, leves e frescos, com sabor frutado e aromas suaves.
O
Dão tenta se libertar das amarras que por muito tempo o impediram de demonstrar
todo o seu potencial. Até pouco tempo, quase toda a sua produção provinha de
cooperativas, o que o tornava mediocremente nivelado. Ainda hoje as
cooperativas respondem por 60% da produção. Apenas recentemente começou a
surgir uma série de vinhos de quinta, isto é, de vinhedos específicos, de alta
qualidade.
Vamos
aos vinhos…

Vinhos do Dão
As 12 taças

1. Quinta do Cerrado
– Dão Branco Encruzado 2009 (100% Encruzado)

A
Encruzado é, por excelência, a melhor casta branca da região do Dão. Os vinhos
elaborados a partir da Encruzado necessitam de alguns anos de descanso em
garrafa para melhor expressar as suas características.

Este
exemplar apresentou notas de laranja e limão cristalizados. Excelente
mineralidade e acidez.
Quinta do Cerrado – Dão Branco Encruzado 2009

2. Quinta de Pinhaços
– Dão Branco Encruzado 2010 (100% Encruzado)
Os
vinhedos deste produtor são mais vigorosos e antigos e estão a 600m de
altitude.
Bastante
elegante, com agradáveis frescor e mineralidade. Com final de boca longo.
Quinta de Pinhaços - Dão Branco Encruzado 2010

3. Quinta da Fata –
Dão Branco Encruzado 2010 (100% Encruzado)
Fermentação
exclusiva em inox e bâttonage por 5
meses.

Bastante
floral, (notas de lírios e flor de laranjeira) e um leve toque de lichias. Boa
acidez e muito mineral.
Quinta da Fata - Dão Branco Encruzado 2010

4. Quinta da Giesta
Dão Rosé (100% Touriga Nacional)
Os
rosés feitos da Touriga Nacional costumam ser bastante florais e este exemplar
não foi diferente. Muita violeta, morangos e framboesas. Ligeiramente encorpado
e marcado pelos frutos vermelhos. Boa persistência e leve amargor no final.
Quinta da Giesta – Dão Rosé

5. Vasco da Gama –
Dão tinto 2006 (Touriga Nacional, Jaen, Tinta Roriz e Alfrocheiro)
Ótimo
vinho para o dia a dia. Taninos leves, bom frescor e altamente gastronômico.
Vasco da Gama – Dão tinto 2006

6. Quinta do Carvalhão Torto – Dão Tinto 2005 (Jaen e Alfrocheiro)
A
quinta do Carvalhão Torto fica situada no centro geográfico da Região Demarcada
do Dão. Estando de posse da família há mais de meio século, sempre se dedicando
à viticultura.
A
produção de vinhos próprios teve início em 2004 com o investimento realizado em
uma moderna unidade de vinificação. O início da comercialização teve lugar em
finais de 2006 com a marca “Quinta do Carvalhão Torto”.
Apresenta
cor rubi, aromas de frutas vermelhas, menta e tostado com um ligeiro aroma de
café. Os taninos são suaves e a acidez equilibrada.
Quinta do Carvalhão Torto – Dão Tinto 2005

7. Cabriz – Dão Tinto
Reserva 2008 (Touriga Nacional, Alfrocheiro e Tinta Roriz)
Estas
3 castas formam o corte tradicional da região do Dão.
A
palavra reserva nos rótulos dos
vinhos tintos do Dão significa que o vinho estagiou por no mínimo 24 meses em barricas
de carvalho. No caso dos brancos, o período em barrica é de 12 meses.

Belo
vermelho granada, aromas de frutas do bosque, flores, e notas defumadas. Na
boca é elegante, fresco, equilibrado, suntuoso e com bom potencial de guarda.
Cabriz – Dão Tinto Reserva 2008

8. Casa de Mouraz
Dão Tinto 2010 (Touriga Nacional 30%, Tinta Roriz 30%, Jaen 20%, Alfrocheiro
10% e Água Santa 10%) – Vinho Orgânico
A
casta Água Santa é uma das castas tintas autorizadas para a VQPRD Bairrada. É
uma casta híbrida resultantes do cruzamento das castas Touriga Nacional e Piriquita.
As
uvas são provenientes de várias parcelas da vinha com idade média de cerca de
30/40 anos, com solos graníticos, orientação privilegiada ao sul e altitudes
médias de 300/400m, situadas na zona de Mouraz, Conselho de Tondela. As vinhas
são cultivadas de acordo com as regras da agricultura biológica desde o início
dos anos 90, sem utilização de herbicidas e agrotóxicos, sendo certificadas
pela ECOCERT PORTUGAL. Desde 2006 que se utiliza também o método de trabalho
biodinâmico, com utilização dos preparados biodinâmicos e demais práticas de
cultivo.
Aromas
intensos de frutos vermelhos maduros, ameixas e alecrim, com notas de
chocolate. Na boca mostra um caráter vivo, com taninos firmes bem maduros e de
longo final.
Casa de Mouraz – Dão Tinto 2010

9. Quinta do Perdigão
– Dão Tinto 2006 (100% Touriga Nacional)
Este
vinho recebeu medalha de ouro no “Concurso Nacional de Vinhos Engarrafados –
Santarém 2010”.
O
exuberante e aromático Quinta do Perdigão Touriga Nacional foi eleito “O
Grande Tinto do Dão” no prestigiado concurso “Os Melhores Vinhos do
Dão no Produtor”. Esta nova versão é uma das melhores já produzidas,
mostrando excelente complexidade e elegância, além de todo caráter da
emblemática Touriga. Já foi indicado entre os 15 melhores vinhos de Portugal
por João Paulo Martins.
Bela
cor granada. Notas de frutas silvestres, framboesa, morango, vegetal pimenta do
reino e eucalipto. Taninos aveludados, boa acidez e de final longo.
Quinta do Perdigão – Dão Tinto 2006

10. T-Nac’ 08 – Dão
Touriga Nacional 2008 (100% Touriga Nacional)
Aromas
de café, baunilha e tomilho. Encorpado, com boa acidez, taninos polidos, muita
elegância, longo e fresco.
T-Nac’ 08 – Dão Touriga Nacional 2008

11. Quinta dos Roques
– Dão Tinto Touriga Nacional 2008 (100% Touriga Nacional)
Considerado
por muitos como um dos melhores “Touriga” do Dão. E realmente é muito bom mesmo!!

Aromas
característicos da casta. Frutos vermelhos (framboesa e morango), flores
silvestres, um leve tostado, um pouco de menta e louro. Vinho de grande
complexidade e elegância. Na boca sente-se a sua juventude, graças a sua
adstringência. Vinho de guarda. Daqui a 20 ou 30 anos ainda estará melhor.
Quinta dos Roques – Dão Tinto Touriga Nacional 2008

12. Pedra Cancela
Dão Tinto Touriga Nacional 2010 (100% Touriga Nacional)
Para mim, o melhor
vinho da degustação
.
O que melhor representou as características da casta.

No
nariz, um leve toque de madeira e coco queimado, baunilha e frutas maduras e
chocolate. Na boca é macio, com bom corpo, e de final longo.
Pedra Cancela - Dão Tinto Touriga Nacional 2010
Literaturas
pesquisadas para este post:
Os
segredos do Vinho para Iniciantes e Iniciados – José Osvaldo Albano do Amarante
Guia
de Castas – Jancis Robinson
Revista
Vinhos de Portugal

2 thoughts on “Aconteceu…Degustação de vinhos portugueses do Dão”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *