Vinho como inspiração: Nespresso lança café de colheita tardia

Cerejas do café Arabica Castillo
Cerejas do café Arabica Castillo

Quando degustamos um
vinho, expressamos nossas sensações por meio de adjetivos referentes à nossa
memória olfativa, tais como flores, frutas, especiarias, chocolate, café. Isso
acontece porque durante o processo de vinificação são formadas substâncias
quimicamente idênticas a esses aromas que temos na memória.


O aroma de café, por
exemplo, é um dos mais agradáveis que já sentimos nas degustações.
Surgiu em grandes vinhos produzidos tanto no velho mundo (o espanhol El Picón)
quanto no novo (o chileno Almaviva), sendo formado quando se utilizam barricas de carvalho com médio grau de tostagem para a fase de estabilização.
Reforçando essa
agradável relação, a Nespresso (marca de café gourmet da Nestlè) acaba de lançar
a edição limitada do Grand Cru NAORA late
harvest,
produzido a partir de técnicas inspiradas no processo de
fabricação de vinhos.
Estágios de maturação das cerejas de café
Estágios de maturação das cerejas

Produzido em parceria
com a Federação Nacional de Produtores da Colômbia, a variedade escolhida foi o
Arabica Castillo. É uma das raras variedades que pode alcançar um avançado
estágio de maturação ainda enquanto está no galho, possibilitando o desenvolvimento
de aromas especiais. O grande desafio foi determinar o tempo exato para colher as cerejas (daí vem a inspiração para o nome do
café: uma combinação do inglês “now” e o espanhol “ahora”). Esse processo
resulta em um café com notas de mirtilos e cassis, também encontradas em vinhos tintos.

Assim que estiver disponível
para o mercado brasileiro (provavelmente na próxima semana), nós aqui do ‘Idas e
vinhas…’ faremos nossa encomenda e partilharemos a experiência com vocês aqui
no blog.
Confira (aqui) o belo
vídeo mostrando todo o processo de produção do Naora.

Naora Limited Edition
Naora Limited Edition 2012

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *